terça-feira, 13 de agosto de 2013

III Fórum Permanente de Arte e Cultura da América Latina

III Fórum Permanente de Arte e Cultura da América Latina

Em agosto, o Fórum Permanente de Arte e Cultura da América Latina, coletivo de pesquisadores dedicados ao estudo da produção artística da América Latina, realizará na Universidade de São Paulo, em parceria com a CESA – Sociedade Científica de Estudos de Arte, o PROLAM- Programa de Integração da América Latina – e o CINUSP Paulo Emílio- dois eventos que discutirão as diversas possibilidades 
estéticas e políticas encontradas por artistas da América Latina e atores sociais ligados à cultura, para fazer frente às realidades adversas, de impedimento do exercício livre da cidadania.

Cine Fórum “40 anos sem Allende”

O primeiro evento, denominado “40 anos sem Allende”, terá lugar no CINUSP da Cidade Universitária, de 12 a 16 de agosto e exibirá 12 filmes, 9 deles produções chilenas, ficção e documentários, sobre a temática do golpe que destituiu o presidente Salvador Allende em 1973, e os desdobramentos da queda do governo 
socialista e a implantação do regime militar naquele país. O Fórum Permanente de Arte e Cultura da América Latina não poderia deixar de relembrar esse triste episódio, que marcou o início de uma fase de recrudescimento das ditaduras militares na Região, em solidariedade a sociedade chilena.

Filmes dos principais cineastas daquele país serão exibidos durante o Cine Fórum: a trilogia “A Batalha do Chile”, de Patrício Guzmán, diretor do premiado “Nostalgia de la Luz”, também presente na mostra; “La Ciudad de los Fotógrafos”, de Sebastián Moreno; “Violeta va al cielo” e “Machuca” de Andrés Wood, além de “Dawson, Isla 10”, de Miguel Littín. Junto com os filmes chilenos, a mostra exibirá três documentários, dois da Argentina, “Tucumán Arde” e “Tucumán Arde-Arquivo”, com depoimentos de artistas fundadores de um movimento artístico e de denuncia das condições de vida de Santa Fé, e um documentário colombiano,“Mampuján” com depoimentos de camponeses contando suas próprias histórias de reconstrução de vida em meio à violência do país.Os presentes poderão, ao final das sessões, debater com professores e alunos de pós-graduação da Universidade de São Paulo sobre os temas dos filmes. 
A Programação completa poderá ser obtida no site do CINUSP. http://www.usp.br/cinusp/

Arte e Cultura da América Latina em Debate Memória e Resistência

Com esse título, o Fórum Permanente de Arte e Cultura da América Latina, realizará na Universidade de São Paulo, dia 27 de agosto, uma jornada de discussões sobre arte, memória e resistência e pretende contribuir para as discussões cada vez mais presentes sobre a relação das produções artísticas e os processos sociais, culturais e políticos de resistência na América Latina.

A primeira mesa de debates terá como tema “Culturas Vivas, Arte e Resistência” e reunirá pesquisadores que trabalham o papel das culturas populares latino americanas, tradicionais e contemporâneas, no cenário de homogeneização das industrias culturais. Nessa mesa, Dilma de Melo e Silva, professora sênior da Eca, falará sobre a importância da Casa de las Américas, fundada em 1960 pelo governo revolucionário cubano, para o acolhimento de artistas e intelectuais que tiveram que se afastar de seus países.

A segunda mesa, “Poéticas, Vivências e Registros da Nossa América”, reunirá duas pesquisas sobre as relações sociais de resistência de comunidades específicas, na conquista de territórios próprios e nos processos de reconhecimento de seus próprios espaços. Experiências históricas (México) e artístico-sociais (Aldeia da Serra). Lalada Dalglish, docente da Unesp, exporá nessa mesa, as bases conceituais que estão norteando a criação de um novo Museu de Cerâmica Popular, em São Paulo, dedicado ao estudo e à proteção patrimonial de fazeres artísticos de comunidades de vários países. O novo museu deverá contar com um acervo de 5 mil peças, coletado pela pesquisadora em países da América Latina.

A terceira mesa “História comovente: opressão e resistência” é dedicada ao Chile, à reflexão da criação das várias linguagens artísticas, como a fotografia e a literatura, que tiveram a função de documentar as atrocidades vividas pela população chilena durante a ditadura Pinochet e ao mesmo tempo, com o distanciamento, contribuir para o período de reconstrução do Novo Chile. Terá também lugar nessa mesa, o relato de Moira Bush sobre as experiências de resistência cultural que mobilizou comunidades no Chile em no Peru em torno da artesania popular.

O quarto eixo temático “Narrativas na arte contemporânea” trata de processos de criação artísticas contemporâneas que imprimem um sentido ampliado à palavra resistência e que estão ligados, muitas vezes, a movimentos moleculares de resistência, ou a processos individuais de reelaboração poética.

O Fórum Arte e Cultura da América Latina em Debate - Memória e Resistência, corresponde a 3ª edição do Fórum Permanente de Arte e Cultura da América Latina, criado em 2010, e desse ano até o presente momento realizou debates públicos sobre a questão dos modernismos na América Latina (junho de 2010), sobre as produções artísticas do Paraguai “O Paraguai que nós vemos” (dezembro de 2011) e agora, sobre os processos artísticos de resistência.

Serão entregues certificados aos participantes do Fórum mediante presença confirmada.

Cine fórum “40 Anos sem Allende”
Realização Fórum Permanente de Arte e Cultura da América Latina em parceria com a 
CESA, PROLAM e CINUSP.
De 12 de agosto a 16 de agosto de 2013
CINUSP Paulo Emílio
Rua do Anfiteatro, 181. Colméias
Cidade Universitária- Butantã
Sessões às 16h00 e às 19h00

Fórum Arte e Cultura da América Latina em Debate
Memória e Resistência
Realização Fórum Permanente de Arte e Cultura da América Latina em parceria com a
CESA e PROLAM.
27 de agosto de 2013Auditório das Ciências Sociais. FFLCH - USP
Avenida Professor Luciano Gualberto, 403/315, Sala 14
Cidade Universitária – Butantã

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não será permitido comentários ofensivos.