quinta-feira, 5 de julho de 2012

Estação Ciência apresenta exposição sobre Biodiversidade


Estação Ciência apresenta exposição sobre Biodiversidade

Exposição inédita é realizada em comemoração ao aniversário de 25 anos da Estação Ciência e à Conferência das Nações sobre Desenvolvimento Sustentável, a RIO+20. É a primeira vez que o acervo do Museu de Zoologia, que conta com peças centenárias, sai de suas dependências
A partir do dia 21 de junho, estará aberta ao público a “Exposição Biodiversidade: fique de olho”, criada pelo Museu de Zoologia e montada na Estação Ciência, órgão da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária.
A exposição traz os biomas brasileiros, apresentando os animais existentes e informações sobre este meio ambiente
A exposição apresenta uma abordagem atual e ampla sobre a biodiversidade brasileira, incluindo elementos como animais, esqueletos, paineis, dioramas e maquetes. Foi montada em uma área de 600 metros quadrados, com cerca de 600 peças – algumas são do final do século XIX – que pertencem ao acervo do Museu de Zoologia, referência nos estudos de biodiversidade e que possui uma das maiores coleções de animais do Brasil, com curadoria da professora Maria Isabel Landim e do museólogo Felipe Elias.
O pano de fundo é o fato de o Brasil abrigar 20% de toda a biodiversidade do planeta e ao mesmo tempo ter na região metropolitana de São Paulo 20 milhões de habitantes. A partir deste cenário, surgem as questões sobre como aliar crescimento, organização urbana e a preservação da biodiversidade. Segundo Maria Isabel, o objetivo não é só alertar as pessoas sobre a crise da biodiversidade, mas é também mostrar a responsabilidade social, promover a educação ambiental, para que os habitats naturais permaneçam.
“A ideia é fazer as pessoas pensarem em como promover uma longevidade maior para a espécie humana em convívio com a natureza, acabando com a antiga ideia de que as cidades são estruturas artificiais e que todo o resto faz parte da natureza. Pois, podemos conviver com a natureza e a cidade também, já que o ser humano tem conhecimento para construir novos modelos de existência e consumo”, ressalta a curadora, que atua no Programa de Pós-graduação Interunidades em Museologia da USP,  e tem como áreas de pesquisa a história da teoria evolutiva, divulgação científica e comunicação museológica.
Biodiversidade e crescimento urbano
Nesse contexto, o tema da biodiversidade é apresentado através de placas de trânsito e com referências ao crescimento urbano. Dessa forma, a proposta junta o caráter informativo e de alerta, levando o visitante a uma viagem divertida e colorida pelos biomas brasileiros e sua diversidade. O principal material utilizado é o OSB, compensado típico da construção civil que tem baixo impacto ambiental.
“A construção deste cenário foi uma maneira de assumir nossa identidade, o contexto em que estamos inseridos, falar de biodiversidade do ponto de vista da metrópole. E também para lembrar que uma grande cidade não tem só problemas, mas também possui informações, conhecimento”, afirma.
A mostra é composta por quatro módulos principais. O primeiro explica o que é a biodiversidade, a dinâmica das transformações da vida na Terra com foco nos eventos passados relacionados à origem da diversidade da vida animal atual. O segundo mostra como a biodiversidade está hoje, apresentando a diversidade de vida animal nos principais biomas brasileiros. O terceiro traz a crise da biodiversidade, expondo a atual perda de biodiversidade e sua associação às ações diretas e indiretas do ser humano sobre o planeta. E o quarto módulo apresenta o trabalho do cientista, através das atividades realizadas pelos pesquisadores e museólogos, trazendo também mais informações sobre o funcionamento do Museu de Zoologia da USP.
As placas da exposição lembram as do trânsito
A exposição fica aberta ao público até o dia 4 de novembro, de terça-feira a sexta-feira, das 8h às 18h, e aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 18h.
O ingresso custa R$ 4. Estudantes, portadores de necessidades especiais pagam meia-entrada. Estão isentos: professores; monitor, agente ou guia de turismo; comunidade USP (alunos, professores e funcionários); menores de 6 anos; maiores de 60 anos. A entrada é gratuita no primeiro sábado e terceiro domingo de cada mês.
A Estação Ciência está situada à Rua Guaicurus, 1394 – Lapa, São Paulo.
Mais informações pelo e-mail: eventos@eciencia.usp.br
(Com informações da Comunicação Institucional da Estação Ciência / Fotos: Michel Sitnik)
Fonte: http://www.usp.br/imprensa/?p=22171


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não será permitido comentários ofensivos.