sábado, 17 de março de 2012

Macunaíma e o diálogo com a Semana de 1922

Macunaíma e o diálogo com a Semana de 1922
Debate Cedem/Unesp

        Em comemoração aos 90 anos da Semana de Arte Moderna, o tema: Macunaíma e o diálogo com a Semana de 1922, será o centro do debate no próximo dia 29 de março, quinta-feira às 18h30, promovido pelo CEDEM – Centro de Documentação e Memória da UNESP. O livro Macunaíma (O herói sem nenhum caráter), de Mário de Andrade, um dos fundadores do modernismo e principal organizador da Semana de Arte Moderna de 1922, no Teatro Municipal de São Paulo. Evento este que influenciou Mário e outros artistas que participaram da Semana, a criarem novas concepções estéticas para a arte brasileira, algo fora do academicismo tradicional, algo contemporâneo.
        Buscando cada vez mais as origens brasileiras, em março de 1924,Oswald de Andrade pública no Correio da Manhã o Manifesto Pau-Brasil, em que expressa à necessidade de buscar na miscigenação da raça brasileira uma nova perspectiva artística. Mas só em 1928, com o Manifesto Antropofágico (também de autoria de Oswald) que fica evidente o repúdio às normas tradicionais e ultrapassadas, que impunham os padrões acadêmicos para a arte, e assim, adentrar as origens da cultura brasileira. Como Oswald diz nesse Manifesto: “Antes dos Portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade”.
        Segundo Antônio Cândido, em Literatura e sociedade: estudos de teoria e história literária (7ª Ed. São Paulo: Ed.Nacional, 1985), Macunaíma é “a obra central e mais característica do movimento modernista, podendo encontrar nela um verdadeiro compêndio das lendas dos índios, dos ditos populares, dos sincretismos religiosos, dos vários regionalismos brasileiros; tudo isso desenvolvido com uma sátira popular peculiar, em que parodia as formas acadêmicas e as “importadas” da Europa. Mario de Andrade mergulhou no primitivismo dos povos indígenas e na cultura das demais raças que originaram o Brasil (Maria Luiza Camara de Camargo – bolsista da UNESP).

Expositor
Luiz Antonio Amaral
Graduação em Letras - UNESP
Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa – UNESP e Doutorado em Letras - USP
Vice-Diretor e Professor da UNESP – Campus de Araraquara
Debatedores
Maria Lúcia Outeiro Fernandes
Graduação em Letras - UFPR
Mestrado em Letras – USP e Doutorado em Letras – PUC/RJ
Professora da UNESP – Campus de Araraquara
Omar Khouri
Graduação em História – USP
Mestrado e Doutorado em Comunicação e Semiótica – PUC/SP
Livre Docente em Teoria e Crítica da Arte – Instituto de Artes da UNESP
Mediador
Oscar D´Ambrósio
Mestre em Artes – Instituto de Artes da UNESP
Crítico de Arte, Escritor, Jornalista
Coordenador de Imprensa da Reitoria - UNESP

PARTICIPE E CONVIDE OS SEUSAMIGOS!

Inscrições gratuitas c/ Sandra Santos pelo e-mail:ssantos@cedem.unesp.br
Data e horário: 29 de março de 2012 (quinta-feira) às 18h30
Local: CEDEM/UNESP - Centro de Documentação e Memória
Praça da Sé, 108- 1º andar, esquina c/ Rua Benjamin Constant (metrô Sé)
(11) 3105 - 9903-www.cedem.unesp.br 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não será permitido comentários ofensivos.