sábado, 10 de dezembro de 2011

Novo Estado: Tapajós

Tapajós será maior que Minas e Bahia, mas mais pobre que o Piauí

Infográfico do iG mostra que Estado terá 3º maior território do Brasil, mas seu uso é limitado: 73% dele é de área protegida



Wilson Lima, enviado especial ao Pará 08/12/2011 16:34Caso seja criado, o Estado de Tapajós será um dos maiores - e mais pobres - Estados do Brasil. Os números são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em área total, Tapajós será o terceiro maior estado brasileiro, superando Minas Gerais e Bahia, por exemplo. Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), será o quarto menor. Em PIB per capita, o terceiro menos expressivo.
Com a divisão do Estado, Tapajós sozinho passará a ocupar 59% de todo o território do Pará, ficando atrás apenas de Amazonas e Mato Grosso. No entanto, seu PIB de R$ 8,7 bilhões será quatro vezes menor que o do Maranhão e será parecido com o do Amapá. Economicamente, a esperança de Tapajós está na usina hidrelétrica de Belo Monte, em fase inicial de construção. Até porque o Estado tem 73% do seu território tomado por áreas de preservação, o que torna inviável uma grande expansão econômica.
Mesmo com esses contrastes, Tapajós, caso seja criado, nasce livre de alguns dos maiores problemas do Estado do Pará. A taxa de homicídios de Tapajós, por exemplo, é 12 vezes inferior ao do Novo Pará, quase quatro vezes menor que a região de Carajás e metade da taxa de homicídios média da região norte brasileira. Das três novas regiões, o Estado teria o menor déficit de leitos da região e a menor média de aluno por professor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não será permitido comentários ofensivos.