domingo, 9 de outubro de 2011

Colégio N.Sa. da Glória revive clima de inquisição e demite delegado sindical


Colégio N.Sa. da Glória revive clima de inquisição e demite delegado sindical

Torquemada renasce no
N.Sa. da Glória
O Colégio Marista N.Sa. da Glória parece estar sendo dirigido pelo tristemente célebre Torquemada – um dos agentes mais crueis e temidos da Inquisição promovida pela Igreja Católica. A vítima é o delegado sindical, que seus colegas elegeram em junho último de forma democrática e legal. Irritada há muito tempo com o que julga ser um desafio à sua autoridade, a diretora da escola,Mirian Bevilacqua, ex-funcionária da UNIBAN (!!!), procurou de todas as formas, antes da eleição, intimidar os professores com o objetivo de evitar a escolha do delegado sindical.
Agora, com o respaldo da ABEC, mantenedora da escola, voltou à carga, apesar das tentativas de diálogo e das advertências feias pelo sindicato de que o autoritarismo que atravessa o comportamento dos seus dirigentes feria o direito de organização dos trabalhadores. O pretexto da demissão do professor, no entanto, foi mais sutil e sorrateiro: contra ele está sendo usado o argumento de que teria indicado a um grupo de alunos uma versão editada do filme “Um tiro para Andy Warhol”, obra referenciada pela crítica por sua reconstituição de momento importante da vida do artista norteamericano. A diretora, Mirian Belivacqua, ex-funcionária da UNIBAN (!!!), nem se incomodou em adicionar mais esse demérito no triste papel que vem desempenhando à “frente” do N.Sa. da Glória: constrangeu o professor em sua liberdade intelectual e no direito de estabilidade que passou a ter como delegado sindical.
O Sindicato dos Professores de São Paulo, além de interceder junto à ABEC, na figura do Ir. Paulinho Vogel, já acionou seu Departamento Jurídico com o objetivo de questionar a atitude dos irmão marista nas várias instâncias da Justiça, entendendo que só o mais pronto repúdio à demissão do professor, com as consequências legais civis ou financeiras que ela possa ter representado, é que assegura o pleno respeito às conquistas de nossa categoria.
Além disso, com a ampla divulgação dos fatos junto aos diversos setores da opinião pública, o SINPRO-SP pretende expor o ambiente obscurantista que cerca as atividades do N.Sa. da Glória, uma escola que com o gesto arbitrário tomado contra o delegado sindical dos professores que ali trabalham, assemelha-se a um reduto medieval em pleno século XXI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não será permitido comentários ofensivos.