segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Cemitério do Bonfim é tema de exposição

Cemitério do Bonfim é tema de exposição

O Museu Histórico Abílio Barreto abre, nesta quarta, dia 19, às 16h, a exposição de curta duração “Descobrindo o Bonfim: o cemitério como lugar na cidade dos vivos”. Por meio de textos, fotos e objetos, a mostra propõe uma reflexão sobre o Bonfim para além do recinto onde se coloca a dor ou simplesmente o corpo sem vida, mas como lugar institucional, intersticial, portador de história, símbolo e arte e como parte importante da vida na cidade.

O Cemitério Nosso Senhor do Bonfim, denominado originalmente Cemitério Municipal, foi projetado pelos engenheiros-arquitetos Hermano Zickler, José de Magalhães e Edgar Nascentes Coelho, membros da Comissão Construtora da Nova Capital. Aberto em 1897, o local escolhido para a sua implantação, na região conhecida como Lagoinha, era alto e arejado, e a ocupação das quadras se deu a partir do prédio projetado para ser o necrotério.
Os mesmos artistas e artesãos cujas obras adornavam as edificações da cidade, em sua maioria imigrantes italianos, reproduziram nos túmulos e mausoléus a linguagem eclética dos edifícios da capital. Os materiais predominantes, até a década de 1920, foram o mármore e a pedra-sabão. A partir dessa época, o granito e o bronze também se fizeram presentes.
O nome Bonfim, que faz referência ao martírio de Jesus na cruz e simboliza proteção, passou a figurar em mapas, plantas e relatórios oficiais a partir da década de 1930. Foi escolhido pela população de Belo Horizonte e indica valores religiosos integrados ao imaginário social.
A exposição permanecerá em cartaz por um período aproximado de seis meses e pode ser visitada às terças, sextas, sábados e domingos, das 10 às 17h, e nas quartas e quintas, das 10 às 21h.


Marcelina Almeida,Profa.Dra.
Universidade do Estado de Minas Gerais,UEMG
Escola de Design,PPGD
Telefone: (31) 86833585

Atualizado:

Queridos,

atualizei os links de pesquisa em história sobre o Mauá.
Acessem disciplina?: história

Profª Viviane

Autonomia na USP

A Autonomia da USP!


Lincoln Secco, Livre Docente em História Contemporânea na USP


Não é comum ver livros como armas. Enquanto no dia 27 de outubro de 2011 a imprensa mostrou os alunos da FFLCH da USP como um bando de usuários de drogas em defesa de seus privilégios, nós outros assistimos jovens indignados, mochila nas costas e livros empunhados contra policiais atônitos, armados e sem identificação, num claro gesto de indisciplina perante a lei. Vários alunos gritavam: “Isto aqui é um livro!”.
Curioso que a geração das redes sociais virtuais apresente esta capacidade radical de usar novos e velhos meios para recusar a violação de nossos direitos. No momento em que o conhecimento mais é ameaçado, os livros velhos de papel, encadernados, carimbados pela nossa biblioteca são erguidos contra o arbítrio.
Os policiais que passaram o dia todo da ultima quinta feira revistando alunos na biblioteca e nos pátios, poderiam ter observado no prédio de História e Geografia vários cartazes gigantes dependurados. Eram palavras de ordem. Algumas vetustas. Outras “impossíveis”. Muitas indignadas. E várias poéticas... É assim uma universidade.
A violação da nossa autonomia tem sido justificada pela necessidade de segurança e a imagem da FFLCH manchada pela ação deliberada dos seus inimigos. A Unidade que mais atende os alunos da USP, dotada de cursos bem avaliados até pelos duvidosos critérios de produtividade atuais, é uma massa desordenada de concreto com salas superlotadas e realmente inseguras. Mas ainda assim é a nossa Faculdade!
É inaceitável que um espaço dedicado á reflexão, ao trabalho, à política, às artes e também à recreação de seus jovens estudantes seja ameaçado pela força policial. Uma Universidade tem o dever de levar sua análise crítica ao limite porque é a única que pode fazê-lo. Seus equívocos devem ser corrigidos por ela mesma. Se ela é incapaz disso, não é mais uma universidade.
A USP não está fora da cidade e do país que a sustenta. Precisa sim de um plano de segurança próprio como outras instituições têm. Afinal, ninguém ousaria dizer que os congressistas de Brasília têm privilégios por não serem abordados e revistados por Policiais. A USP conta com entidades estudantis, sindicatos e núcleos que estudam a intolerância, a violência e a própria polícia.
Ela deve ter autonomia sim. Quando Florestan Fernandes foi preso em 1964, ele escreveu uma carta ao Coronel que presidia seu inquérito policial militar explicando-lhe que a maior virtude do militar é a disciplina e a do intelectual é o espírito crítico... Que alguns militares ainda não o saibam, é compreensível. Que dirigentes universitários o ignorem, é desesperador.
Lincoln Secco

domingo, 30 de outubro de 2011

Imperadores romanos

Alunos,

Já está disponível na pasta Disciplina de História os sites para pesquisa.

Profª Viviane

Revista PUCviva: Comuna de Paris



PUC EM MOVIMENTO - Revista PUCviva sobre 140 anos da Comuna de Paris tem sua segunda edição

APROPUC-SP 25.10.11
Acontecerá no próximo dia 27/10, na sala 134 C, a partir das 19 o lançamento da segunda edição da revista PUCviva sobre a Comuna de Paris. A primeira edição foi lançada em maio durante uma semana de debates sobre o tema, organizada pela APROPUC, Núcleo de Estudos de Ideologia e Lutas Sociais (NEILS), Núcleo de História, Trabalho Ideologia e Poder e Conselho dos Centros Acadêmicos da PUC-SP (CCA), e apoiada pela Faculdade de Ciências Sociais. Antes do debate será exibido o filme "O homem da câmera", de Dziga Vertov.
capa_pucviva_41
A nova edição traz artigos inéditos e com abordagens diferentes das tratadas na primeira edição da revista. A nova edição conta com artigos deÁquilas Mendes, Antonio Ozai da Silva, Caio Navarro, Edison Salles, Edson Passetti, Erson Martins de Oliveira, João Bernardo, João Paulo Netto, João Quartim de Moraes, Lilian Marta Grisolio Mendes e Débora Cristina Goulart, Lívia Cotrim, Lucio Flavio Rodrigues de Almeida, Marcos Del Roio, Maria Lucia Barroco e Milton Pinheiro.
.
Vídeo
Os vídeos editados com todas as apresentações feitas durante a semana de comemoração dos 140 anos da Comuna de Paris estão disponíveis no canal da APROPUC no YouTube, www.youtube.com.br/apropucsp.
Além disso, a APROPUC também fez um DVD com o material colhido durante os debates.
Os associados que quiserem podem solicitar uma cópia gratuita do DVD da atividade para a APROPUC pelo telefone 3872-2685 ou pelo e-mailapropuc@uol.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo. .

Cemitério da Consolação: Antena Paulista

domingo, 23 de outubro de 2011

Atividades educativas


As atividades oferecidas pelo CCBB Educativo são todas gratuitas.

Em Cantos e Contos – Um encontro com o oriente

Local: 1º andar

Sábados e domingos – 14h

O grupo de contadores de histórias do CCBB Educativo preparou um repertório de histórias oriundas da Ásia. São contos populares registrados na China, Índia, mundo muçulmano e principalmente no país do sol nascente – o Japão. Venha conhecer as narrativas que habitam a imaginação de quem vive do outro lado do planeta, cheias de encantamento, aventuras, romances e animais fantásticos.
Classificação indicativa: a partir de 5 anos.

Em Cantos e Contos em Libras – A História de Narciso

Local: 1º andar

Sextas-feiras – 14h

Contação inclusiva para pessoas surdas e ouvintes, feita em Língua de Sinais e narrada em português. Neste mês traremos a história de Narciso, filho do deus-rio Cephisus e da ninfa Liríope, um jovem de extrema beleza que se apaixonou pela sua própria imagem refletida nas águas.

Classificação indicativa: a partir de 5 anos

 

Laboratório de Ações Criativas – Quem cria os Heróis?

Local: 1º andar
Quintas e sextas-feiras – 13h
Qual é o seu herói favorito? Ele possui super poderes? O que ele representa para você? Nesse mês, o Laboratório de Ações Criativas propõe uma vivência usando materiais de corte e colagem para a criação do seu próprio super herói, estabelecendo assim, conexões com os personagens de Mariko Mori.

Classificação indicativa: a partir de 5 anos

 

Vivências Musicais – Sonorizando o Futuro

Local: 1º andar

Sábados e domingos – 13h

Como podemos ouvir os sons do futuro? Através da imaginação dos sonoplastas, filmes antigos e recentes deram conta desse desafio. Novos ruídos foram criados a partir de outros e uma “realidade sonora” que antes parecia impossível, tornou-se acessível. O Vivências Musicais deste mês convida o público a sonorizar filmes e animações futuristas em uma verdadeira interação com as imagens.
Classificação indicativa: a partir de 5 anos.

 Roteiros Especiais: Visita Sensorial – Conhecendo o CCBB

Locais: Fachada, cofre no subsolo, térreo, 1º, 2º e 3º andares

Quintas-feiras e domingos – 13h

Visita inclusiva para deficientes visuais e para o público em geral, que é convidado a utilizar vendas nos olhos durante o percurso. Venha conhecer o prédio do CCBB, sua história, os estilos arquitetônicos e sua relação com a cidade de São Paulo a partir da experimentação do espaço e de outras propostas lúdicas. Duração média de 1h.
Classificação indicativa: a partir de 10 anos.

Visita ao prédio - Conhecendo o CCBB

Locais: Fachada, cofre no subsolo, térreo, 1º, 2º e 3º andares.
Terça a Domingo – 9h às 20h
O percurso instiga a percepção do público sobre as transformações ocorridas no prédio do CCBB e seu entorno, traçando paralelos com temas atuais como registro histórico, memória, preservação e sustentabilidade.
Disponibilidade de educador, sob consulta na Bilheteria. Duração média de 1h.
Classificação indicativa: a partir de 5 anos.

 

Visitas Teatralizadas
Local: Início no térreo
Sábados – 15h
Imagine reviver a época na qual o prédio, que hoje abriga o CCBB, sediou a primeira agência do Banco do Brasil em São Paulo, na década de 20. A história do prédio, construído em 1901 e reformado pelo engenheiro-arquiteto Hippolyto Gustavo Pujol Junior é contada e cantada por atores e músicos que, vestidos à caráter, são os mestres de cerimônias desta visita. Duração média de 40 minutos.
Classificação indicativa: a partir de 5 anos.

Práticas e Reflexões com Educadores – Arte, Jogo e Educação

Local: Cinema
29 de outubro
Sábado – 10h às 12h
O foco deste encontro é a relação entre arte, jogo e educação, partindo da percepção do jogo como área do conhecimento e investigando uma prática pegagógica lúdica. A Arte apresenta múltiplas possibilidades de abordagem e interpretações, e pode ser catalizadora dos processos de aquisição do conhecimento. Portanto, jogo e arte no contexto da educação podem proporcionar uma visão integrada entre os diferentes conteúdos abordados tanto na sala de aula quanto em ambientes de educação não formal. Contamos com a presença de integrante (s) do coletivo ZEBRA5, formado por artistas, educadores com experiência em centros culturais, museus, educação formal e EAD.
Público alvo: professores, educadores e interessados em educação, arte e cultura.
Inscrição prévia com Agendamento: fone             (11) 3113-3649      .
Classificação indicativa: público adulto. 70 pessoas. 

-- 
-- 
AGENDAMENTO CCBB
Tel: 3113-3649 Fax:3113-3647
De segunda a sexta das 10h às 18h.
Rua Álvares Penteado, 112 – Centro São Paulo
(próximo às estações Sé e São Bento do Metrô)
Informações gerais:
            (11) 3113-3651       / 3113-3652  
De terça a domingo das 09h às 21h.  

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Ciclo de palestras


II Ciclo de Palestras
Mestres do Cinema Europeu
07 de novembro a 12 de dezembro
 
Espaço Unibanco de Cinema

Rua Augusta , 1470

Assembléia dos professores


COMPANHEIROS,
 
Os professores do Estado de São Paulo tem sofrido vários ataques do governo: Reajuste parcelado, férias parceladas, divisão de categorias, prova de mérito.
Já não bastasse esses ataques o governo apresenta agora a proposta de reforma curricular do Ensino Médio, Escola de Tempo Integral e Progressão continuada(três ciclos). O ministro da educação fala em 220 dias letivos.
Nesse sentido é muito importante que estejamos nessa sexta-feira dia 21/10 na praça da República às 14h00 na Assembleia da APEOESP.
NÃO PODEMOS ACEITAR O CONFORMISMO E A PASSIVIDADE DA DIRETORIA MAJORITÁRIA DO SINDICATO E SIM ENCAMINHAR AS NOSSAS REIVINDICAÇÕES EM DEFESA DOS NOSSO DIREITOS.
 
Elvis Roberto
UNIDOS PRÁ LUTAR!!!
 
 
 
Agenda da sexta-feira, dia 21/10/11
 
09h00 - REUNIÃO DA DEC (DIRETORIA ESTADUAL COLEGIADA)
10h00 - REUNIÃO DO CER (CONSELHO ESTADUAL DE REPRESENTATES)
Ambas as reuniões serão realizadas no Clube Homs 
av. Paulista, 735 - próximo à estação Brigadeiro do Metrô 

14h00 - ASSEMBLEIA DOS PROFESSORES - com paralisação
Local: Praça da República

domingo, 16 de outubro de 2011

Educativo Bienal


bienal_educativo_pequeno.jpg



Olá professores, tudo bem?


Com a intenção de aprimorar cada vez mais o nosso trabalho, o Educativo da Bienal convida vocês para participarem de uma conversa que visa avaliar as nossas ações durante a 29ª Bienal.

É importante que você:

Tenha participado de uma formação para professores em 2010.

Tenha trazido seus alunos para visitar a 29ª Bienal de São Paulo.

Participe dessa troca de ideias para falar de suas vivências com o Material Educativo e com a 29ª Bienal, isso vai nos ajudar a continuar aprimorando nosso trabalho para as próximas exposições.

Todos que participarem da dinâmica ganharão um catálogo da 29ª Bienal, além do Material Educativo da exposição Em nome dos Artistas – Arte contemporânea norte-americana na Coleção Astrup Fearnley. Também sortearemos entre os presentes um catálogo dessa mostra.

A próxima dinâmica será na próxima sexta-feira21/10, das 19h às 21h, na Sala do Conselho, na área administrativa da Bienal. 

Todos os interessados, por favor, confirmem suas participações respondendo esse e-mail com as datas e horários escolhidos.

Para mais informações, entrem em contato comigo. 

Muito obrigada, att.

Simone Castro
comunicação · educativo
            +55 11 5576 7600       r. 7682
            +55 11 7158 0545      

Fundação Bienal de São Paulo
Parque do Ibirapuera · Portão 3
Pavilhão Ciccillo Matarazzo · 3º andar
04094-000 · São Paulo · SP · Brasil
www.bienal.org.br