sábado, 26 de fevereiro de 2011

17% dos professores não têm formação ideal para dar aula

Lei exige formação superior para docentes a partir do 6º ano do fundamental
MEC reconhece que a situação é ilegal e pode afetar aprendizado, mas diz articular políticas para sanar a questão
MARÍLIA ROCHA
NATALIA CANCIAN
DE SÃO PAULO
Fonte: Folha de São Paulo


No Brasil, 16,8% dos professores da rede pública não têm formação suficiente para exercer a profissão e estão em situação irregular.
A LDB (Lei de Diretrizes e Bases) exige que os docentes do sexto ano do ensino fundamental ao terceiro ano do ensino médio tenham formação superior, mas 208 mil professores dessas séries concluíram apenas o fundamental ou o médio.
Por Estado, a pior situação é na Bahia, onde 50,8% dos 96,5 mil docentes dessas séries não completaram o ensino superior. Já São Paulo tem a melhor taxa nacional: 2,25% dos 238.667 professores dessa fase do ensino não terminaram a faculdade.
O levantamento, feito com base em dados do Inep (instituto ligado ao MEC) reunidos em 2009 e atualizados em janeiro deste ano, abarca o total de 1,2 milhão de professores que dão aulas nas séries em que há essa exigência.
O índice é praticamente o mesmo de 2007 (16%), quando se fez o primeiro levantamento nacional do tipo. Erivan Santos, 20, ilustra essa situação. Ele começou a dar aulas na rede pública aos 19 anos e atualmente ensina geografia numa escola particular de Acajutiba, na Bahia, enquanto está no segundo ano de pedagogia.
"Para dar aula de geografia, basta ter um bom entendimento do assunto e saber passar isso para os alunos. Não precisa de conhecimento aprofundado, não", diz.
"Esses professores estão em situação irregular e terão de fazer uma licenciatura", afirma a pesquisadora Ângela Soligo, da Faculdade de Educação da Unicamp.
O fundador da ONG Todos Pela Educação, Mozart Neves Ramos, diz que o percentual de docentes sem faculdade também descumpre metas do Plano de Educação Básica. "Parte desses professores vem de cidades menores, onde, em geral, só se estuda até o ensino médio", afirma.

OUTRO LADO
 secretária de Educação Básica do MEC, Maria do Pilar Almeida e Silva, admite que a situação dos professores sem formação suficiente "fere a lei" e pode comprometer a aprendizagem.
Segundo ela, estão em curso políticas articuladas com governos locais para sanar a questão. "Nunca temos resultados rápidos em educação, mas as políticas atuais estão bem estruturadas."
A diretora do Instituto Anísio Teixeira (que forma docentes na BA), Irene Cazorla, diz desconfiar que os dados estejam "superestimados".
--------------------------------------------------------------------------------
Colaborou MATHEUS MAGENTA, de Salvador

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Apocalypse Now (1979) - Original Extended Trailer

A professora recomenda: Apocalypse now!


Para quem estiver em casa hoje e tem tv a cabo o canla TCM vai passar um dos melhores filmes sobre a Guerra do Vietnam: Apocalypse Now.(22 horas)
Em plena Guerra do Vietnam, por volta de 1969, um alto comando do exército americano designa o capitão Willard para matar o coronel Kurtz este que tinha enlouquecido chegando a assassinar inocentes no interior da selva do Camboja.

Subindo o rio num barco de patrulha e escoltado por quatro soldados, Willard depara-se com situações inacreditáveis e absurdas geradas pela guerra enquanto examina os documentos a respeito do coronel. Ao chegar ao seu destino, percebe que os nativos adoram Kurtz como a um Deus e terá de decidir se cumpre ou não a sua missão.
Boa diversão!

Charlie Sheen e o seu problema com as drogas

Caros leitores,

Sou fã da série Two and Half Men e também do trabalho de Charlie Sheen, essa com certeza foi a minha motivação para colocar esse post.
Não é de hoje que Charlie Sheen enfrenta problemas com as drogas, seu pai o também ator Martin Sheen já o internou uma vez por que disse que queria salvar a vida de seu filho, porém indas e vindas em clinicas mostra que o problema continua.Não é de hoje que nós fãs da série vemos no personagem o alterego de Sheen: mulherengo e louco por uma bebida.
Bom segue as noticias retiradas do site do uol e espero que sirva como exemplo principalmente aos jovens que o uso de drogas não traz liberdade e sim você se torna prisioneiro dela.
Boa leitura,

Profª Viviane

24/02/2011 - 22h36

Série "Two and a Half Men" não será mais produzida neste ano
DE SÃO PAULO


A série "Two and a Half Men" será interrompida e não será mais gravada nesta temporada.

"Com base nas declarações de Charlie Sheen, sua conduta e condição, a CBS e a Warner Bros. Television decidiram não continuar com a produção de 'Two and a Half Men' nesta temporada", anunciaram os dois produtores.
A decisão foi tomada pouco depois do site TMZ publicar que Charlie Sheen teria ameaçado o criador da série Chuck Lorre durante uma briga. O ator disse ao site que Lorre era um "estúpido, um pequeno homem estúpido, um idiota que eu nunca gostaria de ser".
Segundo fontes ligadas à produção, essa foi a gota d'água para a CBS e a Warner Bros.
Não houve nenhum pronunciamento sobre como ou quando será feita a próxima temporada.
Com "Two and a Half Men", Sheen alcançou o mais alto salário da TV americana: embolsa US$ 1,25 milhão (R$ 2,12 milhões) por episódio gravado.

PROBLEMAS

Charlie Sheen, 44, enfrenta uma série de problemas com álcool e drogas, admitiu inclusive que fumava crack. Atrizes pornôs têm sido a companhia mais constante dele, desde que o casamento com Brooke Mueller acabou.
Mas, nesta quinta-feira, a ex-sogra de Sheen contou à revista "People" que a filha voltou a morar na casa do ator.
Depois de seu mais recente colapso, ele anunciou que faria um programa de reabilitação para enfrentar seus problemas.
Tudo indica, no entanto, que Sheen desistiu do plano. Ele está em férias nas Bahamas cercado de mulheres, incluindo Brooke.
 
 
23/02/2011 - 17h00

Martin Sheen diz que vício do filho é como câncer
DE SÃO PAULO

Martin Sheen, 70, falou abertamente sobre os problemas recentes de seu filho, Charlie Sheen. Ele comparou a dependência do filho a um câncer e reafirma seu apoio a ele.
"O vício é uma forma de câncer e você precisa ter uma dose igual de preocupação e amor e apoio então é isso que fazemos por ele", disse o ator ao site Sky News.
Charlie Sheen, 45, está sendo submetido a uma tratamento de reabilitação devido a um consumo abusivo de drogas e álcool. Sua série, "Two and a Half Men", teve as gravações interrompidas para que ele se tratasse. O produção será retomada na próxima segunda-feira.


25/02/2011 - 13h31

Charlie Sheen chama criador da série de "verme"
DE SÃO PAULO

Em uma carta aberta enviada ao site de celebridades TMZ, o ator Charlie Sheen chamou o criador da série "Two and a Half Men", Chuck Lorre, de "verme".
A produção da série anunciou ontem que não produzirá mais novos episódios neste ano. A decisão foi tomada pouco depois do site TMZ publicar que Sheen teria ameaçado o criador da série Chuck Lorre durante uma briga.
O ator disse ao site que Lorre era um "estúpido, um pequeno homem estúpido, um idiota que eu nunca gostaria de ser".
Segundo fontes ligadas à produção, essa foi a gota d'água para a CBS e a Warner Bros.
Não houve nenhum pronunciamento sobre como ou quando será feita a próxima temporada.
Com "Two and a Half Men", Sheen alcançou o mais alto salário da TV americana: embolsa US$ 1,25 milhão (R$ 2,12 milhões) por episódio gravado.
Leia abaixo a carta de Sheen na íntegra

"O que isso diz sobre Haim Levine [Chuck Lorre] depois que ele tentou usar suas palavras para me julgar e tentar me prejudicar. Eu ignorei cordialmente essa loucura por 177 episódios... Eu faço uma coisa errada uma vez e esta larva contaminada não consegue lidar com o meu poder e não pode lidar com a verdade. Não lhe desejo nada, a não ser a dor em suas viagens bobas, principalmente nas que tem a ver comigo. Claramente, eu venci este verme com as minhas palavras --imagine o que eu teria feito com meus punhos. Peço a todos os meus fãs lindos e leais que se importaram com essa série há quase uma década para andar comigo lado a lado, marchando para corrigir esta injustiça inconcebível.
Lembre-se que este é o meu povo... Não o seu... Vamos continuar juntos...
Charlie Sheen"

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Por memória de livreiro, filha quer recriar sebo de 62 anos

Por memória de livreiro, filha quer recriar sebo de 62 anos

ESTÊVÃO BERTONI
DE SÃO PAULO
Fonte: Folha de São Paulo


No auge, foram mais de 300 mil. Em 2007, quando deu cabo ao negócio, todos os 15 mil entraram em liquidação. Restaram a Luiz de Oliveira Dias, que um dia foi dono de todos esses livros, cerca de 1.800, alguns que não conseguiu vender, outros que escolheu guardar.
Agora, seu acervo está com a filha, a psicóloga Elsa Oliveira Dias. Luiz, um português que teve por 62 anos uma livraria no centro de São Paulo, morreu no mês passado, aos 92, deixando à família não só uma biblioteca com raridades, como também a paixão pelos livros.
Para preservar a memória do pai, Elsa pensa agora em recriar a Ornabi, o sebo de Luiz que existiu até 2007 na rua Benjamim Constant.
Fundadora do Centro Winnicott de SP ao lado do marido croata, o filósofo e professor aposentado Zeljko Loparic, ela planeja abrir uma editora para publicar teses.
Antes da iniciativa, a filha e os três netos vão repartir entre si as obras que consideram mais importantes ou que possuem valor afetivo. Elsa, que vive num apartamento com as paredes forradas por livros, calcula que 20% do acervo do pai tem "peso".
Há pequenos catecismos com capas de marfim, de 1877, as obras completas de Voltaire, em coleção de 1836, e a primeira edição de "Fazendeiro do Ar e Poesia Até Agora" (1955), de Carlos Drummond.
Um dos favoritos da neta Sandra, designer, é uma obra francesa de 1949 que, apesar da idade, ainda tem as gravuras em cores fortes, algumas eróticas. O livro foi achado na seção religiosa do sebo.
O maior orgulho de Luiz era ter em seu alfarrábio, como gostava de chamar a Ornabi, o que o freguês há muito procurava. Caso vingue a ideia da filha, os clientes poderão garimpar novamente seu acervo. Se acharem livros faltando páginas, não haverá problema. "Melhor, lê-se mais depressa", ele diria.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Moradores isolados por pedágio estocam gás e comem pão velho

Caros leitores,

Hoje lendo o meu jornal dominical me deparei com esse noticia que sem dúvida é absurda ainda mais pela resposta dada pelas autoridades.

Boa leitura,

Profª Viviane

20/02/2011 - 15h27

Moradores isolados por pedágio estocam gás e comem pão velho
ALENCAR IZIDORO
ENVIADO ESPECIAL A PAULÍNIA (SP)
Fonte: Folha de São Paulo



Heraldo Ezier Bizi, 68, que montou um estoque de seis botijões de gás para fugir do pedágio instalado em Paulínia




Heraldo Ezier Bizi, 68, montou um estoque de seis botijões de gás dentro de casa -um para cada morador, já incluídos os dois netos.José Pedro Moreno Morcillo, 58, armazena comida.Adenair Scardua, 65, comprou quatro galinhas para garantir os ovos do jantar.
E há mais de um ano quase toda a vizinhança não come mais pão fresquinho, não recebe a visita da Guarda Municipal nem a pizza do delivery.
Não se trata de prenúncio de guerra nem catástrofe.
É só a vida de moradores que ficaram isolados pela implantação de uma praça de pedágio na SP-332, em Paulínia (a 117 km da capital paulista), com tarifa de R$ 7,65.
A cobrança, a cargo da concessionária Rota das Bandeiras, começou há 14 meses -na segunda etapa de concessões do governo paulista. Ela é feita num acesso lateral da estrada. O alvo eram caminhões de uma refinaria da Petrobras. Mas os moradores das casas espalhadas nas proximidades da fazenda Cascata ficaram sem alternativa de acesso a lugares indispensáveis como padaria, farmácia e banco.
O estoque de mantimentos é uma estratégia para atenuar a passagem no pedágio.
"Imagina pagar R$ 7,65 de manhã para comprar três pãezinhos, que não custam nem R$ 1. Aqui não existe comércio", diz a servidora Rosineide de Oliveira Moreno, 51.
O marido dela reclama que não consegue nem receber a visita regular dos netos, mesmo morando a dez minutos deles. "Nem usamos a rodovia. É só para atravessar um pontilhão", conta José Pedro.
O transporte público não serve de opção -por ser uma área afastada, os ônibus só passam três vezes no dia.
A concessionária diz que os pontos de pedágio foram definidos pelo governo e que ela segue o contrato.
O governo Geraldo Alckmin (PSDB), por sua vez, não reconhece os problemas (leia texto nesta página).

SEM SERVIÇO PÚBLICO
Queixas de isolamento devido à implantação de pedágio se repetem em outros lugares do Estado -inclusive em concessões do governo federal, como a Fernão Dias.
Em Paulínia, há um agravante: esses habitantes, que a prefeitura estima em mais de mil, tiveram até serviços públicos reduzidos.
A Guarda Municipal não vigia mais a área separada pelo pedágio -alega não ter isenção para seus carros e não ter como custear a tarifa para fazer a ronda.
"Não há possibilidade de prestar serviço público lá por conta da cobrança. Só em caso de emergência", afirma Ronaldo Pontes Furtado, secretário de Segurança Pública."O lixo era coletado três vezes por semana. Agora, é uma. O pessoal da saúde não vai porque tem pedágio", complementa ele.
Empresas que vendem gás, galões de água e material de construção interromperam as entregas na região -exceto se a tarifa de R$ 7,65 for paga pelo próprio cliente.
Quem trabalha no centro de Paulínia passou a ter a despesa extra diariamente -num mês, beira R$ 200.
Morador do local há 14 anos, Espedito de Paula Dias, 80, diz que nunca mais recebeu os clientes que compravam as abóboras de seu sítio.
A rota à cidade vizinha, Cosmópolis, não adianta. A 3 km, tem outro pedágio, de R$ 5,45 -na ida e na volta.


Professor é acusado de apologia ao crime em Santos-SP

Caros leitores,

Esse é um caso que vai contra a idéia de Nicolau Maquiável: "Os fins justificam os meios"
Boa leitura

Profª Viviane



18/02/2011 - 19h46


Professor é acusado de apologia ao crime em Santos-SP
Fonte: Agência Estado


Santos - O professor de matemática de uma escola estadual de Santos (SP) está sendo acusado de "apologia ao crime" por passar aos alunos do primeiro ano do Ensino Médio seis problemas que citam temas como tráfico de entorpecentes, prostituição, roubo de veículos, assassinato e uso de armas de fogo. Nas questões, o professor pergunta, por exemplo, qual a quantidade de pó de giz que um traficante deverá misturar para ganhar 20% na venda de 200 gramas de heroína ou quantos clientes cada prostituta deverá atender para que o cafetão compre uma dose diária de crack.
O caso - que foi manchete da edição de ontem do jornal "A Tribuna" de Santos - foi denunciado à polícia na última quarta-feira pelos pais de uma aluna de 14 anos da Escola Estadual João Octávio dos Santos, no morro do São Bento, periferia da cidade. Na última segunda-feira, a adolescente comentou com a mãe que não havia conseguido responder um exercício com seis questões aplicado em sala de aula pelo seu professor de matemática Lívio. Ao ver as questões no caderno da filha, a mãe se surpreendeu com o conteúdo do texto e decidiu procurar a diretoria da escola.
a escola, de acordo com o boletim de ocorrência registrado na Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) de Santos, o professor foi chamado à sala da diretora, que também estava surpresa com o conteúdo dos exercícios e confirmou que havia aplicado tais questões, escrevendo-as na lousa, mas sem esclarecer sobre os motivos que o levaram a formular o exercício. O professor teria dito ao padrasto da vítima que como a jovem não havia respondido as questões em sala de aula como fora orientada não era mais necessário respondê-las.
De acordo com o delegado titular da DISE, Francisco Garrido Fernandes, que instaurou inquérito para apurar a ocorrência, o professor e a diretora da escola já foram intimados e deverão prestar depoimento na próxima segunda-feira. Caso seja condenado por "apologia ao crime", o professor poderá receber punição de três a seis meses de detenção. "É um delito de menor potencial ofensivo e se o juiz condenar pode aplicar pena de prestação de serviços", explicou ele, respondendo que não tem conhecimento da existência de bandidos na cidade com os apelidos de "Zaróio", "Biroka", "Jamanta", "Rojão", "Chaveta" e "Pipôco", que foram utilizados como personagens nas questões.
Em nota, a Secretaria Estadual de Educação afirmou que após receber as informações da ocorrência da direção da escola, determinou, nos termos da lei, a instauração de procedimento preliminar para apuração de responsabilidades e também o afastamento do docente. "Enquanto não houver a conclusão desse procedimento, a administração não dará mais informações sobre o caso, pois terá de atuar como instância de decisão, não podendo, portanto, correr o risco de caracterizar prejulgamento", afirma o comunicado.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Futebol e resistência: Palestra no Memorial 19/02

SÁBADO RESISTENTE

Memorial da Resistência de São Paulo
Largo General Osório, 66 - Luz - Auditório Vitae - 5º andar
19 de fevereiro de 2011, das 14h às 17h30

Futebol e resistência política

A população brasileira lutou muito pela volta à Democracia, com adesão de praticamente todos os setores da sociedade. A busca por liberdade nunca deu trégua aos ditadores. No esporte, principalmente no futebol, o desejo de volta ao regime democrático e de liberdade teve alguns exemplos notáveis, a partir de meados dos anos 1970, tanto em São Paulo como no Rio de Janeiro, e em Minas Gerais, além de outros Estados.

Com certeza, a experiência da Democracia Corintiana foi a mais representativa da participação do mundo esportivo contra a Ditadura Militar e será um dos pontos de discussão no Sábado Resistente de 19/02. Lembraremos também a faixa exigindo Anistia Política, que foi aberta em janeiro de 1979 no Estádio do Morumbi, e que colocou o esporte na luta pela Anistia Política, fortalecendo os setores que já estavam nas ruas clamando por ela.

Ainda neste primeiro Sábado Resistente de 2011, faremos uma homenagem a Aderval Alves Coqueiro, o primeiro banido que voltou ao Brasil para lutar contra a ditadura.

PROGRAMAÇÃO

14h - Boas-Vindas - Caroline Grassi (Memorial da Resistência de São Paulo)
Coordenação - Ivan Seixas (Jornalista - presidente do Núcleo de Preservação da Memória Política do Fórum Permanente de ex-Presos e Perseguidos Políticos de São Paulo)
14h15 - Palestra e debate - Juca Kfouri (jornalista)
16h30 - Homenagem a Aderval Alves Coqueiro (primeiro banido a voltar para a luta contra a ditadura)
Os Sábados Resistentes, promovidos pelo Núcleo de Preservação da Memória Política e pelo Memorial da Resistência de São Paulo, são um espaço de discussão entre militantes das causas libertárias, de ontem e de hoje, pesquisadores, estudantes e todos os interessados no debate sobre as lutas contra a repressão, em especial à resistência ao regime civil-militar implantado com o golpe de Estado de 1964. Os Sábados Resistentes têm como objetivo maior o aprofundamento dos conceitos de Liberdade, Igualdade e Democracia, fundamentais ao Ser Humano.

Para quem precisa cumprir as hora de estágio na faculdade vale a pena!
Profª Viviane

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Sem carteiras, escola da zona sul de SP faz rodízio de alunos

Fonte: Jornal Folha de São Paulo
Na tarde de ontem (15), um cartaz colado no portão da escola estadual Roberto Mange, extremo sul de São Paulo, avisava: não haverá aula hoje para a 6ª A e 6ª B. Motivo: falta de cadeiras e carteiras.
Os alunos das duas salas só descobriram que seriam dispensados das aulas de ontem ao chegar na escola, mas o fato não os surpreendeu.
Desde que as aulas começaram para valer, anteontem, parte das turmas da escola têm se revezado, pois não há lugar para todos sentarem. Em um dia, algumas séries foram mandadas para casa; no seguinte, outras.
Segundo alunos e pais ouvidos pela Folha na porta da escola, anteontem pelo menos uma turma da manhã (de 8ª série) e outra da tarde (de 5ª série) foram dispensadas.
Ontem, além das duas salas de 6ª série que ficaram sem aula à tarde, alunos de ao menos uma 8ª série da manhã também voltaram para casa. Estudantes relataram que o problema se estende ainda a turmas da noite.
"Ontem [anteontem] chegamos aqui adiantados, e nos deparamos com o cartaz dizendo que a turma da minha filha não teria aulas. Faço de tudo para meus filhos não faltarem na escola. É complicado", afirma a dona de casa Marlete Oliveira Silva, 38, mãe de uma aluna da 5ª série que caminha por 25 minutos todos os dias para chegar com a filha à escola.
"O pior é que eles avisam de última hora. As mães vêm com as crianças arrumadinhas e têm que voltar para trás", diz a mãe de outro estudante Silene dos Santos, 45, que acompanhou a frustração dos pais nestes dois dias.
Lucinda Correia Ferreira, 46, também conta que o filho aproveitou a manhã de ontem, quando deveria estar estudando, para ir ao dentista, já que a turma dele da 8ª série foi dispensada porque não havia onde sentar.

DEMANDA
Procurada pela Folha, a diretora da escola, que identificou-se apenas como Sueli, disse que não poderia dar entrevistas. Mas afirmou que a falta de cadeiras e carteiras se deve a uma grande "demanda de estudantes".
Depois dos questionamentos da reportagem, uma funcionária retirou o cartaz colado na porta da escola.
Estudantes afirmam, no entanto, que as cadeiras e carteiras são velhas desde o ano passado e que neste ano nenhuma delas foi trocada.
A Secretaria de Educação diz que a diretoria de ensino da região foi alertada na noite de anteontem e vai apurar.
O colégio está localizado no Jardim Myrna, distrito do Grajaú, em uma das avenidas mais movimentadas da região. Ontem, estudantes de 11 e 12 anos que tiveram aulas, mas foram dispensados quase duas horas antes do horário por falta de professores.

Evento de ficção científica próximo sábado 19/02

Para quem estiver sem programa no sábado é uma boa pedida.

Horário: 19 fevereiro 2011 de 13:00 a 18:30

Local: Livraria Saraiva Shopping Center Norte
Cidade: São Paulo (SP)
Organizado por: Sr Q (Encontro de Excers) Grupo de Ficção Científica Alpha e Grupo de Teatro Zona Neutra (Realização do Evento)

Cursos na FAAP - livre 2011

O Ator Mickey Rooney pede proteção após maus-tratos de enteado - 16/02/2011

Mickey Rooney 90 anos
Caros leitores,

Quantas vezes vemos noticias como essa circulando pela internet ou até mesmo nos jornais da tv, mas essa intolerância com o idoso não é privilégio de meros mortais. O grande ator Mickey Rooney está sendo vitima de maus tratos...acreditem!
Leiam o link abaixo:
Folha.com - Ilustrada - Ator Mickey Rooney pede proteção após maus-tratos de enteado - 16/02/2011



Biografia:

Nascido como Joseph Yule, Jr em 23 de setembro de 1920 em Brooklyn, NY. Ator ,cantor e dançarino é dono de uma das carreiras mais duradouras do cinema, Mickey Rooney estreou ainda criança e fez até hoje quase 350 filmes. Praticamente esquecido hoje em dia, esse ator foi um dos que mais levantavam a bilheteria dos filmes da MGM, durante a década de 40. Nascido Joe Yule Jr., Mickey Rooney praticamente nasceu no teatro. Seus pais eram atores da vaudeville e ele, aos 2 anos de idade, estreou cantando, dançando e representando. Seu primeiro papel no cinema foi em “Not to be trusted”, de 1926, no papel de um anão. Ao longo de sua carreira fez 130 filmes, dos quais, 10 curtas na série Mickey McGuire (década de 20) e 15 episódios da série Andy Hardy, da qual era protagonista. Foi através desta série que ficaram conhecidas atrizes como Judy Garland, Lana Turner, Ann Rockeford, dentre outras. Seu primeiro grande papel é considerado “A Midsummer Night’s Dream”(Sonho de uma noite de verão) , de 1935. Em 1938 Mickey ganhou um Oscar especial, juntamente com Deanna Durbin, como ator juvenil. Mesmo já idoso, Mickey continua na ativa, indo todos os anos à cerimônia do Oscar.
Foi casado com : Ava Gardner, Betty Jane Rase, Martha Vickers, Elaine Devry, Barbara Ann, Marge Lane, Carolyn Hockett, Jan Chamberlin  sua ultima mulher é a mãe do agressor mencionada na notica acima.

Pagamento ao professor do bônus

Caros leitores,


Uma experiência bem bizarra: nem bem começou o ano já tinhamos professores preocupados com o recebimento do seu bônus. Para quem não sabe o bônus é uma gratificação que o servidor recebe com base no resultado que a escola atingiu no Saresp.
A noticia foi retransmitida por email:

BÔNUS DE SERVIDOR SERÁ PAGO EM MARÇO

Em nota divulgada para a imprensa, ontem(27/1) no final da tarde, a secretaria da Educação declarou que os servidores da rede estadual de ensino de São Paulo irão receber o bônus em março.
O benefício é pago de acordo com as metas propostas para cada escola. O valor do bônus é calculado com base no Idesp (Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo). O indicador considera os resultados das provas do Saresp (sistema de avaliação de rendimento escolar) e os dados da progressão escolar - como aprovação e repetência.
O bônus, no ano passado, chegou a 2,9 salários para os servidores de unidades que ultrapassaram as metas em 20%. Para os funcionários de escolas que cumpriram o objetivo, o bônus chegou a 2,4 salários.
ATENÇÃO: As regras para o pagamento de 2011, no entanto, ainda precisam ser publicadas no "Diário Oficial" do Estado.
Com informações da Secretaria de Estado da Educação
Fonte: CPP

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Qual a importância da TV Tupi na historia do Brasil

A TV Tupi São Paulo foi a primeira emissora de televisão brasileira, com sede em São Paulo, SP. Emissora própria e geradora da Rede Tupi de Televisão.

Foi fundada em 18 de setembro de 1950 por Assis Chateaubriand, sendo a única emissora de televisão em todo o Brasil até o inicio de 1951, quando foi inaugurada a TV Tupi Rio, outra emissora própria dos Diários Associados. O monopólio como única emissora de São Paulo foi quebrado em 1952 com a inauguração da TV Paulista, canal 5 VHF. A Tupi SP operou no canal 3 até 1960 passando a operar no canal 4 até seu fechamento, em 18 de julho de 1980, quando a Tupi SP e mais 6 concessões da Rede Tupi foram cassadas.
Desde 1981, um pouco mais de um ano do fechamento da Rede Tupi, o empresário Sílvio Santos adquiriu a concessão pelo Governo Federal, daí o canal 4 de São Paulo passou a ser SBT São Paulo, geradora do Sistema Brasileiro de Televisão.

Rede Globo e Arquivo vão recuperar imagens raras da TV Tupi

Fonte: Jornal O Globo set 2007

Mais de 500 fitas com programas do extinto canal de televisão foram encontradas por acaso, e devem ser recuperadas
"Programa Flávio Calvacanti. 1 fita. Gravado em 07-02-80. Não pode ir ao ar". "Brasil x Alemanha. 2 tempo". "Gonzaguinha especial". As etiquetas com identificações incompletas, que pouco informam e muito instigam, estão em algumas das 536 fitas com programas da TV Tupi encontradas por acaso, entre cadeiras e mesas velhas, no nono andar do prédio dos Diários Associados (proprietários da TV), na Rua do Livramento, no Rio. Parte deste patrimônio está prestes a ser recuperada. A Rede Globo e o Arquivo Nacional do Rio de Janeiro, instituição para a qual o material foi doado, firmaram acordo para recuperar seu conteúdo.
São reportagens, talk-shows, musicais e programas esportivos exibidos nos anos 60 e 70 e em 1980, ano da cassação da concessão da Tupi. "É um verdadeiro tesouro, já que quase tudo o que a televisão brasileira mostrou nos anos 50, 60 e 70 desapareceu", deslumbra-se o historiador Clóvis Molinari, coordenador de Documentos Audiviosuais e Cartográficos do Arquivo Nacional. "Como o material está em mau estado, se conseguirmos recuperar 10% ou 15% dele, já vai ser um milagre."
O responsável pelo achado, há dois anos, foi o gerente técnico da Rádio Tupi, José Cláudio Barbedo, que depois ajudou a viabilizar a doação formal do material ao Arquivo Nacional, feita pelos Diários Associados. "Achei uns rolinhos de filme no chão, fiquei curioso, porque tinha sido técnico de cinema, e vi que era um comercial. Abri outro e era uma reportagem, provavelmente sem som, já que no início da TV não havia videotape: o repórter captava as imagens e depois o locutor do telejornal fazia a narração. Acabei chegando a uma sala com pilhas de fitas da Tupi, a maioria quadruplex, que tinham sido recolhidas no Cassino da Urca (antiga sede da emissora). De cara, vi programas de Flávio Cavalcanti, Aérton Perlingeiro. Vi que aquilo tinha valor histórico e liguei para o Clóvis", conta Barbedo. No Brasil, só existem hoje duas máquinas capazes de ler fitas quadruplex. Uma delas, pertencente à TV Cultura, está sendo usada num amplo projeto da Cinemateca Brasileira.
Restou ao Arquivo Nacional recorrer à TV Globo, dona da outra máquina. Felizmente, o negócio foi fechado. Pelo acordo, a emissora se encarrega de higienizar e digitalizar as fitas - um trabalho que vai custar cerca de R$ 500 mil. Como contrapartida, poderá exibir seu conteúdo por um ano. Depois, ele voltará para o Arquivo Nacional e ficará disponível para consulta pública.
"Dependendo do que tem nas fitas, elas poderão ser aproveitadas em programas como o "Arquivo N" (da Globo News)", diz Maria Alice Fontes, gerente do Centro de Documentação da TV Globo. "É um acervo riquíssimo; a TV Tupi era importantíssima."
Para tentar recuperar os filmes, muitos deles da década de 50, o Arquivo Nacional vai precisar fazer acordo semelhante com um laboratório especializado neste tipo de trabalho.
A fim de sensibilizar o público e possíveis patrocinadores, a instituição mostrou trechos de alguns deles, recuperados especialmente para a ocasião, durante uma edição do seu festival de cinema, o Recine. O que se viu dava a dimensão da importância do material: há o presidente Juscelino Kubitschek sendo aplaudido na saída do casamento de uma parente, Ana Kubitschek; os primeiros nordestinos chegando ao Campo de São Cristóvão; Leonel Brizola discursando na Câmara dos Deputados; e as prostitutas da Vila Mimosa fechando janelas ao se verem flagradas pelas câmeras da Tupi. "Os filmes estão piores que as fitas, por causa da síndrome do vinagre, que é a decomposição da película pela evaporação dos elementos químicos", explica Molinari.
As causas para a quase inexistência de material do começo da TV no Brasil são várias: algumas delas são a natureza do veículo, que no início era ao vivo, os incêndios que vitimaram diferentes emissoras e a falta de noção do valor do conteúdo produzido - o que, após a popularização do videotape, nos anos 60, levava ao reaproveitamento das fitas. O "garimpeiro" que encontrou o material da Tupi comemorou a possibilidade de sua recuperação: "Vai ser um serviço inestimável à memória do país", festeja.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Mubarak assumiu após assassinato de presidente; veja cronologia - 10/02/2011

Caros leitores,

A Folha e o UOL fizeram um cronologia  sobre Mubarak.
Acessem o site abaixo:
folha.com - Mundo - Mubarak assumiu após assassinato de presidente; veja cronologia - 10/02/2011

Boa leitura

Profª Viviane

Após 30 anos no poder, ditador Hosni Mubarak renuncia no Egito

Fonte: UOL

Após 18 dias de intensos e violentos protestos que tomaram diversas cidades do Egito, o ditador Hosni Mubarak, 82, renunciou ao poder depois de comandar uma ditadura com mão de ferro durante 30 anos. O anúncio foi feito pelo vice-presidente egípcio, Omar Suleiman, na TV estatal. Em poucos minutos, centenas de milhares estavam em festa e aos gritos na praça Tahrir, epicentro das manifestações de oposição.

"Presidente Hosni Mubarak decidir renunciar como presidente do Egito", disse Suleiman, em um breve anúncio, acrescentando que o poder foi entregue às Forças Armadas.

Segundo Suleiman, a decisão foi tomada diante das "difíceis circunstâncias pelas quais o país passa".
A saída de Mubarak solidifica a crise no mundo árabe, sendo a segunda ditadura a ruir na região em menos de um mês. Ainda no dia 14 de janeiro a Revolução do Jasmim levou o ditador da Tunísia, Zine el Abidine Ben Ali, a abandonar o país, em meio ao movimento que se alastrou para outros países, causando protestos na Mauritânia, Argélia, Jordânia e Iêmen.
Após o anúncio, uma explosão de alegria tomou as ruas do Cairo. Centenas de milhares de egípcios agitaram bandeiras, choraram e se abraçaram em celebração. "O povo derrubou o regime", cantavam em coro.
A renúncia ocorre menos de 24 horas depois de fortes rumores de sua saída imediata do poder. Na noite de quinta-feira, Mubarak discursou à nação e disse que passava parte de seu poder a Suleiman, mas permaneceria até setembro --quando estão previstas eleições presidenciais. O discurso de "fico" causou fúria nos manifestantes que marcharam em direção ao Palácio Presidencial aos gritos para que deixasse o poder.

O ditador Mubarak ascendeu na Força Áérea --principalmente pelo seu desempenho na guerra de Yom Kippur com Israel-- e tornou-se vice-presidente em 1975. Ele assumiu a Presidência quando islamitas mataram a tiros seu antecessor, Anwar Sadat, em um desfile militar em 1981.
Mubarak se beneficiou de artigos da Constituição egípcia que ditam mandatos presidenciais de seis anos com um número de reeleições indefinidas. Além disso, alterações à lei fizeram com que a vitória de candidatos de outro partido que não o seu fosse praticamente impossível.
Sob denúncias de corrupção e em meio a diversas acusações de abusos de autoridade e prisões tornadas possíveis devido ao estado de emergência, em vigor há 30 anos no país, a imagem de Mubarak deteriorou-se ao longo dos anos
Aliado de Washington na região, o ditador usufruía de boas relações com o Ocidente embora fosse fato conhecido de que seu governo era uma ditadura de mão de ferro.

Mubarak também era bem visto por ter mantido um acordo de paz com Israel, assinado em 1979, país com o qual o Egito travou três guerras.
Nas eleições legislativas de novembro passado, o partido de Mubarak ganhou cerca de 90% dos assentos no Parlamento, que viu a principal oposição islâmica perder todos os seus 88 lugares, garantindo ao partido de Mubarak as decisões do Parlamento e apertando o punho Mubarak no poder.
SAÍDA DO CAIRO
Em uma tentativa de acalmar os manifestantes, Mubarak anunciou dias atrás que não concorreria às eleições presidenciais de setembro próximo, mas alertou que ficaria no poder até lá para evitar o "caos" no país. Ele mandou ainda seu vice, Omar Suleiman, negociar com a oposição --oferta que foi rejeitada. Os manifestantes exigiam que Mubarak deixasse o poder antes de iniciar qualquer diálogo.
Mais cedo, o porta-voz do partido de Mubarak havia confirmado que o mandatário e sua família viajaram para o balneário de Sharm el-Sheikh, no mar Vermelho.
"Ele está em Sharm el-Sheikh", afirmou Mohammed Abdellah, do Partido Nacional Democrático.
Pouco antes, fontes ligadas ao governo informaram que Mubarak e a família haviam deixado o Cairo nesta sexta-feira, mas sem deixar claro qual era o destino.
A TV estatal egípcia informou também que uma importante declaração de Mubarak será transmitida em breve, mas não deu mais detalhes.
A edição digital do jornal pró-governo "Al Ahram" afirma, citando fontes próximas às Forças Armadas, que Mubarak esteve em uma base militar durante as últimas 48 horas para garantir sua segurança
O jornal diz ainda que, "devido à situação na capital, foi impossível para o presidente mover-se com segurança com sua comitiva habitual".

A informação sobre a viagem de Mubarak também foi divulgada pelas redes de TV árabes Al Arabiya e Al Jazeera. Sharm el-Sheikh, localizado no extremo sul da península do Sinai, é o local em que Mubarak costuma receber personalidades estrangeiras e realizar conferências internacionais.
PROTESTOS
os protestos registrados no Egito por mais de duas semanas registraram quase 300 mortes, segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), além da morte de jornalistas e diversos ataques à imprensa.
Iniciadas no Cairo, as manifestações se espalharam por outras cidades, como Alexandria e Suez.

Crônica de Luiz Fernando Veríssimo sobre o "BBB"

Caros leitores,

Recebi esse email hoje pela manhã e acho válido a leitura, principalmente em uma sociedade que tem problemas sociais e educacionais. Afinal temos vários brasileiros analfabetos funcionais!
Leiam e reflitam:
Boa leitura
Profª Viviane

Crônica de Luiz Fernando Veríssimo sobre o "BBB"




Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço...A décima primeira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil, encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB 11 é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos na mesma casa, a casa dos “heróis”, como são chamados por Pedro Bial. Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterossexuais. O BBB 11 é a realidade em busca do IBOPE.

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB 11. Ele prometeu um “zoológico humano divertido” . Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Se entendi corretamente as apresentações, são 15 os “animais” do “zoológico”: o judeu tarado, o gay afeminado, a dentista gostosa, o negro com suingue, a nerd tímida, a gostosa com bundão, a “não sou piranha mas não sou santa”, o modelo Mr. Maringá, a lésbica convicta, a DJ intelectual, o carioca marrento, o maquiador drag-queen e a PM que gosta de apanhar (essa é para acabar!!!).

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo. Eu gostaria de perguntar se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis?

São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros, profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados.

Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia.

Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis são inúmeras pessoas, entidades sociais e beneficentes, ONGs, voluntários, igrejas e hospitais que se dedicam ao cuidado de carentes, doentes e necessitados (vamos lembrar de nossa eterna heroína, Zilda Arns).

Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.

E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.

Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social, moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?

(Poderia ser feito mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir.

Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construído nossa sociedade.



PENSE NISSO!

O prazer da dor

Caros leitores,

Para quem se interessa por arte tumular como eu, vale a leitura.
Foi publicado no site:
http://www.revistadehistoria.com.br/v2/home/?go=detalhe&id=3594


01/02/2011


O prazer da dor

Sensuais e acolhedoras, as jovens divindades esculpidas por Materno Giribaldi enriquecem cemitérios de São Paulo

Maria Elizia Borges

Quando se visita um cemitério, o que se vê é uma série de túmulos adornados com cruzes, flores, vasos e imagens de santos e de anjos. Mas quem já viu esculturas como as de Materno Giribaldi – especialista em retratar mulheres em poses sensuais – enfeitando túmulos acaba se perguntando se não seria mais adequado que essas obras de arte ficassem expostas dentro de um museu. Possivelmente, elas estão ali para confirmar o quanto os vivos sentem necessidade de eternizar esses lugares com trabalhos artísticos repletos de significados, sejam sacros ou profanos.

Nas grandes metrópoles brasileiras, como Rio de Janeiro, Porto Alegre, Salvador e São Paulo, há cemitérios que são tidos como museus a céu aberto. Isto se deve ao fato de eles abrigarem uma grande quantidade de monumentos luxuosos, ornamentados com estátuas que muitas vezes narram a vida do falecido, reforçando a importância que ele teve. Ao longo da história da humanidade, cada sociedade desenvolveu uma maneira própria de homenagear seus mortos. Esse costume contribui para que os homens vivenciem o seu luto com mais profundidade.

Materno Giribaldi (1870-1935) nasceu na Itália, aos 60 anos mudou-se para São Paulo, onde instalou seu ateliê na década de 1930. O trabalho do artista apresenta elementos do simbolismo, representação visual que agrupa estilos artísticos europeus do final do século XIX, como o art nouveau (nova arte) e o liberty (noção de liberdade). Suas obras têm composições assimétricas com uma profusão decorativa de arranjos florais envolvendo mulheres nuas e seminuas. Elas expressam dor diante dos mistérios insondáveis da morte e, ao mesmo tempo, exaltam e glorificam a vida terrena. (...)


Leia a matéria completa na edição de Fevereiro, nas bancas.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Seu Madruga não morreu!!!

Olha ele no metrô de São Paulo


Curso Introdutór​io à História da Arte a partir da Coleção do MASP

Caros leitores,

Para quem não sabe o MASP oferece uma vez por mês em seu auditorio e de forma gratuita um Curso Introdutór​io à História da Arte a partir da Coleção do MASP todo mês um quadro diferente.
Por gentileza confiram, na programação abaixo, as datas previstas sob concepção e orientação do Professor Renato Brolezzi, Assistente de Coordenação doServiço Educativo do MASP.

Curso Introdutório à História da Arte a partir da Coleção do MASP
Voltado para professores de arte e educadores, o curso pretende oferecer uma introdução à cultura figurativa ocidental a partir da análise de obras escolhidas da Coleção do MASP

No próximo dia 12/02A Virgem com o Menino de Pé, Abraçando a Mãe

(Madonna Wiillys) de GIOVANNI BELLINI

Horários: Sábados das 11 às 13h Grande Auditório do MASP 1ºss recomenda-se chegar com 30’ de antecedência em inscrição prévia 450 vagas GRATUITO.
Emite certificado de participação
Avaliação da aula optativa. Acerto de 80% das cinco questões propostas garante certificado atestando aproveitamento satisfatório.

ATENÇAO: Para quem ainda não viu, a Exposição Wim Wenders termina no dia 13 de fevereiro.
 
Beijos e boa visita
Profª Viviane

Curso de complementação na UNIBAN

Caros professores,

A UNIBAN abriu inscrição para professores formados em História e Geografia que estejam interessados em complementar sua formação. São cursos de apenas um ano que licencia o professor de Geografia a lecionar História e o de História em Geografia. As inscrições estão abertas. O curso será oferecido no campus Vila Mariana (ao lado do Metrô).


História para Licenciados em Geografia
Promover a continuidade dos estudos históricos e historiográficos visando a formação de professores de História. Assim, a UNIBAN além de oferecer o curso de Licenciatura em História (em 3 anos), também oferece a mesma Licenciatura em 1 ano para os Licenciados em Geografia. O objetivo é complementar os estudos do Licenciado em Geografia no que diz respeito aos conhecimentos da área de História visando a docência no Ensino Fundamental e Médio.

Geografia para Licenciados em História
Há ainda uma grande demanda por professores habilitados em Geografia. Assim sendo, a UNIBAN além de oferecer o curso de Licenciatura em Geografia (em 3 anos), também oferece a mesma Licenciatura em 1 ano para os Licenciados em História. O objetivo deste curso é complementar os estudos do Licenciado em História no que diz respeito aos conhecimentos da área de Geografia, visando a docência no Ensino Fundamental e Médio.

Três capitais recebem exposição sobre naufrágio do Titanic

Caros leitores,

Este ano o Brasil vai receber a exposição sobre o naufrágio do Titanic, a parte chata é que São paulo não vai receber a exposição!

Bjs


Três capitais recebem exposição sobre naufrágio do Titanic

MESA-REDON​DA DE DEBATE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASI​LEIRA NOS CURRÍCULOS ESCOLARES

A LIVRARIA CULTURA CONVIDA PARA A MESA-REDONDA DE DEBATE A RESPEITO DA LEI 10.639/2003, QUE TORNA OBRIGATÓRIA A INCLUSÃO DE HISTÓRIA E CULTURA AFRO-BRASILEIRA NOS CURRÍCULOS ESCOLARES .


Tema: Ações Afirmativas e Lei de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional

Palestrantes: Eliana de Oliveira, Marina Mello, Renato Gilioli, Rosana Gonçalves e Fábio Moraes.

Dia: 12 de fevereiro, sábado, às 14h30min.

Local: Livraria Cultura

Unidade: Bourbon Shopping São Paulo

Endereço: R. Turiassu, 2100 - Perdizes – SP

Local: Auditório

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Professoras aprovadas em concurso são barradas por serem obesas

Caros leitores


Confesso que quando li essa noticia no jornal da Folha de São Paulo custei a acreditar até por que prego em minha aulas que não devemos julgar as pessoas nem pela aparência, nem pela cor muito menos pela religião. Mas não é isso que o Governo do Estado de São Paulo faz.
Após as denuncias o nosso governador veio a público dizer que o importante é a saúde do professor. Não tem nada haver com obesidade. Oras, o discurso então não é para todos.
Quantas vezes já vi policiais com barrigas enormes que realmente não sei como conseguem correr, mas nem por isso julgo o seu trabalho, acho que ele tem o mérito de estar lá. E professoras e professores de educação física que estão bem acima do peso? Julgo seu trabalho? Não.
Então por que essa DESCRIMINAÇÃO????
Não pedimos para nossos alunos terem tolerância? Cade a do governo de São Paulo.
Parabéns ao Fantástico que fez uma materia sobre o assunto peço para vocês lerem na integra a materia no lin abaixo no blog papo de professor.
Tirem suas conclusões, ser gordo influência no método de ensino nas escolas? ou o que influência é o profissionalismo do professor.
Boa leitura,

PAPO DE PROFESSOR: PROFESSORAS APROVADAS EM CONCURSO SÃO BARRADAS POR...: "PROFESSORAS APROVADAS NO ÚLTIMO CONCURSO NA REDE ESTADUAL DE ENSINO FORAM BARRADAS POR CAUSA DO PESO.APÓS PASSAREM POR UM PROCESSO DE ..."

De volt aos anos 80: Boy George confirma volta do Culture Club

Queridos leitores,

Para os saudosistas e para aqueles que ainda não conhecem.
Acessem o link abaixo

Boa leitura,


Profª Viviane

A Capa - Boy George confirma volta do Culture Club

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Vulcão Etna entra em erupção no sul da Itália



Queridos leitores,

Noticia vinculada na imprensa 13/01/2011 em meio de vários acontecimentos desagradaveis por conta da natureza.

Boa leitura,

Profª Viviane

****************8
Vulcão começou a expelir cinzas e lavas nesta quinta-feira, forçando as autoridades a fechar brevemente aeroportos de Catânia.
Os dois aeroportos de Catânia, a segunda cidade mais importante da Sicília e localizada aos pés do vulcão, foram reabertos, mas as autoridades da aviação civil (Enac) disseram que observavam o aumento da atividade vulcânica e as emissões de cinzas. Os aeroportos já haviam sido fechados por precaução na tarde de quarta-feira.
O Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia da Itália (INGV) informou que a atividade sísmica do Etna havia aumentado na quarta-feira antes da última erupção, que até agora foi leve. O Etna, o vulcão mais alto e ativo da Europa, entra em erupção regularmente, mas provoca poucos danos nas regiões desabitadas.
Ao entrar em erupção na ilha italiana da Sicília na noite de quarta-feira, o Etna formou um rio de lava por uma de suas encostas, onde autoridades locais anunciaram estado de alerta. Segundo informou o INGV, a atividade do vulcão se intensificou na noite de quarta-feira pouco depois das 22h48 locais (19h48 horário de Brasília).
O jornal "Corriere della Sera" informou que o espetáculo de lava foi visível nas cidades de Catânia e Taormina.
Segundo os cientistas do INGV, os sinais registrados nos últimos dias lembram as fases preliminares das violentas eruções de 2006 e 2007 e não se descarta que a lava volte a correr pela encosta nas próximas horas.
A última grande erupção do vulcão de 45 quilômetros de diâmetro localizado no leste da Sicília, que esteve acompanhada de mais de 200 pequenos terremotos, foi em maio de 2008. O Etna tem 3.322 metros de altura e é a montanha mais alta da Itália ao sul da cordilheira dos Alpes.
*Com EFE e Reuters




Atentado no Aeroporto Internacional

Russia/Atentados - Artigo publicado em 24 de Janeiro de 2011 - Atualizado em 25 de Janeiro de 2011


Pelo menos 130 pessoas ficaram feridas após a explosão no aeroporto de Moscou.
Reuters/Denis SinyakovSilvano Mendes

A explosão ocorreu na tarde desta segunda-feira na área de desembarque dos vôos internacionais do aeroporto Domodedovo, na capital Moscou. Pelo menos 35 pessoas morreram e mais de 150 ficaram feridas. As autoridades russas já estão à procura de três suspeitos de envolvimento no atentado suicida .

A polícia russa ainda não sabe se o ato foi realizado por um ou vários terroristas, mas as autoridades locais acreditam que o homem-bomba se misturou às pessoas que aguardavam a chegada dos passageiros, quando os explosivos foram acionados. Algumas testemunhas afirmam ter ouvido duas deflagrações.
A polícia não excluiu, no entanto, a hipótese de que a bomba tenho sido escondida dentro das bagagens que chegavam ao aeroporto. Os aviões que aterrissavam pouco antes da explosão vinham do Cairo, no Egito, de Tóquio, no Japão, de Dusseldorf, na Alemanha, e de Londres, no Reino Unido. A polícia de Moscou aumentou o nível de segurança na capital, principalmente nas estações de metrô e nos aeroportos moscovitas Cheremetievo e Vnoukovo.
As autoridades do país abriram imediatamente um inquérito contra "ato terrorista". Nenhum grupo reivindicou o ataque, mas três pessoas suspeitas de envolvimento já estão sendo procuradas pela polícia. O presidente russo Dmitri Medvedev, que deveria embarcar na terça-feira para Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial, decidiu adiar sua viagem. O primeiro ministro Vladimir Putin é esperado no aeroporto na noite desta segunda-feira.
As primeiras reações já começaram a ser divulgadas. O secretário geral da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), Anders Fogh Rasmussen, se disse chocado pelo atentado. Ele afirmou que a Aliança está do lado da Rússia na luta contra o terrorismo. O ministro alemão das Relações Exteriores, Guido Westerwelle, e o chefe da diplomacia italiana, Franco Frattini, condenaram o ataque, qualificado como "um ato bárbaro injustificável". Em comunicados oficiais o presidente francês, Nicolas Sarkozy, criticou um ato "odioso e covarde", enquanto o presidente norte-americano Barack Obama falou de um ataque "revoltante".
A Rússia foi vítima de dois atentados terroristas no ano passado. Em março duas mulheres se explodiram dentro do metrô de Moscou matando 40 pessoas. Já em setembro, a explosão de um carro-bomba fez 17 vítimas fatais em Vladikavkaz, na Ossétia do Norte.

Atentado à bomba no aeroporto de Moscou é flagrante de desrespeito pela vida humana

Caros leitores,

Outro assunto que indignou o mundo foi o atentado a bomba no Aeroporto Internacional de Moscou.
Abaixo um texto da Anistia Internacional.

Boa leitura,

Profª Viviane


Atentado à bomba no aeroporto de Moscou é flagrante de desrespeito pela vida humana


A Amnesty International condena o atentado à bomba cometido hoje (24 de janeiro) no aeroporto moscovita Domodedovo por volta das 16h30. O atentado ocorreu no terminal de desembarque internacional e resultou em inúmeras vítimas. Até o momento, as informações indicam que até 31 pessoas foram mortas e 130 ficaram feridas.
A organização apresenta as suas condolências às vítimas e suas famílias.
A Amnesty International considera que este ataque representa um desrespeito gritante pela vida humana e constitui uma violação flagrante de um direito fundamental. Não há desculpas ou justificativas possíveis.
A organização pede às autoridades russas que realizem uma investigação completa e imparcial, e que levem à justiça os responsáveis por esta atrocidade de acordo com as normas internacionais de direitos humanos.
O último grande ataque à bomba contra civis havia ocorrido em março de 2010 em Moscou, quando dois agressores suicidas detonaram seus explosivos no mesmo dia em duas estações de metro, provocando a morte de 40 pessoas e ferimentos em mais de 100.

Amnesty International
Declaração Pública - Índice AI:
04de Janeiro de 2011
Tradução livre

Conflitos no Egito provocam aversão ao risco e bolsas caem; dólar sobe

Notícia publicada às: 28/01/2011 20:00

A exceção foi o mercado acionário asiático que fechou em queda por conta da repercussão do rebaixamento da nota de crédito do Japão.

28 de janeiro de 2011 - Os balanços corporativos de grandes companhias e o resultado abaixo do esperado do Produto Interno Bruto(PIB) dos Estados Unidos foram deixados de lado nesta sexta-feira diante do aumento da tensão no Egito, o que acabou por provocar um movimento de aversão ao risco nas bolsas ao redor do globo.
 exceção foi o mercado acionário asiático que fechou em queda por conta da repercussão do rebaixamento da nota de crédito do Japão.
No Cairo, os protestos contra o presidente Hosni Mubarak, no poder desde 1981, cresceram e na avaliação dos agentes, o acesso ao Canal de Suez, principal ponto de ligação entre Ásia e Europa poderia ficar ameaçado.Além disso, a sede central do Partido Nacional Democrático (NDP), legenda do Governo egípcio, foi incendiada.
Mais cedo, o Departamento do Comércio norte-americano informou que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu a um ritmo anualizado de 3,2% no quarto trimestre de 2010.
Apesar de ter vindo pouco abaixo do esperado pelo mercado - uma aceleração de 3,5%, o mercado reagiu bem à notícia no começo das operações.(...)

Trechos:  (MCF - www.ultimoinstante.com.br)

O conflito de classes no Egito

Caros leitores,

Outro assunto que também vem circulando pelos noticiarios é a crise que se abateu no Egito com a população indo as ruas protestar contra o seu atual governo.
Farei uma seleção de reportagens para que se entenda melhor os eventos.

Boa leitura,

Profª Viviane


O conflito de classes no Egito

Na manhã de domingo havia sinais de que os militares egípcios estavam assumindo algumas funções de segurança. Soldados começaram a prender suspeitos de vandalismo, cerca de 450 deles.
O desaparecimento da polícia das ruas havia levado à ameaça de saques generalizados, o que agora está sendo enfrentado pelas forças militares regulares. Outros métodos de controle ficaram claros. O governo fechou o escritório da Al Jazeera no Cairo e tirou a licença para que os jornalistas da emissora trabalhassem lá, de acordo com mensagens no twitter. (A Al Jazeera não tinha sido capaz de transmitir diretamente do Cairo mesmo antes da decisão). O canal, baseado no Catar, é visto pelo presidente Hosni Mubarak como agente a serviço de enfraquecê-lo.

Por que o estado egípcio perdeu sua legitimidade? Max Weber distinguia entre poder e autoridade. O poder flui das armas e o estado egípcio tem uma grande quantidade delas. Mas Weber definia autoridade como a probabilidade de uma ordem ser obedecida. Líderes que tem autoridade não precisam atirar nas pessoas. O regime de Mubarak já atirou em mais de 100 pessoas nos últimos dias e feriu muitas outras.
Literalmente, centenas de milhares de pessoas ignoraram as ordens de Mubarak para observar o toque de recolher noturno. Ele perdeu sua autoridade.

A autoridade é baseda em legitimidade. Líderes são seguidos quando as pessoas concordam que eles tem alguma base legítima para sua autoridade e poder. Em países democráticos, a legitimidade vem das urnas.
No Egito, entre 1957-1970, a autoridade derivou do papel de liderança que os militares e as forças de segurança tiveram ao livrar o país da hegemonia ocidental. Aquele conflito incluiu enfrentar o Reino Unico para ganhar controle do canal de Suez (originalmente contruído pelo governo egípcio e aberto em 1869, mas comprado por quase nada pelos britânicos em 1875, quando as práticas bancárias ocidentais levaram o governo egípcio endividado à beira da bancarrota).

Também envolveu enfrentar as tentativas agressivas de Israel de ocupar a península do Sinai para representar interesses israelenses no canal de Suez. O líder revolucionário árabe Gamal Abdel Nasser (que morreu em 1970) conduziu uma grande reforma agrária, dividindo as gigantescas fazendas de estilo centro-americano e criando uma classe média rural. Leonard Binder argumentou que no fim dos anos 60 aquela classe média era a coluna do regime. O estado sob Abdel Nasser promoveu a industrialização e também criou uma classe urbana de empresários que se beneficiaram das construções encomendadas pelo governo.

A partir de 1970, Anwar El Sadat levou o Egito por uma nova direção, abrindo a economia e abertamente se aliando à classe empresarial multimilionária do ramo da construção. Esta estava em busca de investimentos europeus e americanos. Cansado das guerras sem resultado entre árabes e israelenses, o público egípcio deu apoio ao plano de paz de 1978 com Israel, que acabou com o ciclo de guerras com aquele país e abriu espaço para construir a indústria de turismo egípcia e o investimento ocidental nela, assim como ajuda financeira americana e europeia. O Egito se moveu para a direita.
Mas enquanto as políticas socialistas de Nasser levaram à duplicação dos salários reais no Egito entre 1960-1970, de 1970 a 2000 não houve desenvolvimento no país. Parte do problema foi demográfico. Se a população cresce 3% ao ano e a economia cresce 3% ao ano, o aumento per capita é zero. Desde cerca de 1850, o Egito e outros países do Oriente Médio tem tido um (misterioso) boom populacional.

As crescentes populações tornaram as cidades inchadas, já que tipicamente elas oferecem salários maiores que na zona rural, mesmo na economia informal (por exemplo, vendendo caixas de fósforo). Quase metade da população agora vive nas cidades e muitas vilas hoje se tornaram subúrbios das vastas metrópoles.

E assim a classe média rural, embora ainda importante, não serve mais como principal base de apoio ao regime. Um governo bem sucedido teria de ter um grande número de pessoas nas cidades ao seu lado. Mas lá, as políticas neoliberais exigidas pelos Estados Unidos de Hosni Mubarak desde 1981 não ajudaram. As cidades egípcias sofrem de alto índice de desemprego e de inflação relativamente alta. O setor urbano viu nascerem alguns multibilionários, mas muitos trabalhadores ficaram para trás. O enorme número de formados em escolas secundárias e universidades produzidos pelo sistema não encontra empregos à altura de sua educação e muitos nem conseguem emprego. O Egito urbano tem ricos e pobres, mas uma pequena classe média. O estado tenta cuidadosamente controlar os sindicatos, que quase nunca agem de forma independente.

O estado, assim, é visto como um estado para poucos. Sua velha base de classe média rural estava em declínio com a mudança dos jovens para as cidades. O estado está fazendo pouco para as classes trabalhadora e média urbanas. Uma classe de negócios ostentadora emergiu, altamente dependente de contratos e da boa vontade do governo — e se encontra nos hotéis de luxo de turismo. Mas as massas de formados na escola secundária e na universidade foram reduzidas a dirigir táxis e vender tapetes (quando conseguem esses bicos) e não se beneficiaram das taxas de crescimento no papel da última década.
O regime militar do Egito inicialmente ganhou legitimidade popular em parte por enfrentar a França, o Reino Unido e Israel entre 1956-57 (com a ajuda de Ike Eisenhower). Depois dos acordos de Camp David o Egito ficou de fora das grandes disputas do Oriente Médio e fez o que é visto como uma paz em separado. A cooperação do Egito com o bloqueio israelense de Gaza e sua aliança tácita com os Estados Unidos e Israel enfureceram politicamente os mais jovens, que já estavam economicamente frustrados.

A ajuda do Cairo aos Estados Unidos, por baixo do pano, com [a invasão do] Iraque e com a tortura de suspeitos de pertencer à Al Qaeda, é bem conhecida. Muito pouco desgosta tanto os egípcios quanto a guerra do Iraque e a tortura. O estado egípcio foi de ter uma ampla base nos anos 50 e 60 para ser capturado por uma pequena elite. Foi de um símbolo de luta por dignidade e independência diante do domínio britânico para ser visto como um cãozinho de estimação do Ocidente.

O fracasso do regime em se conectar com as crescentes classes urbanas (média e de trabalhadores) e sua incapacidade em dar emprego aos formados em universidades criaram as condições para os eventos da semana passada. Trabalhadores educados precisam de um estado legal para regular suas atividades econômicas e o governo arbitrário de Mubarak é visto como um atraso por eles. Embora a economia tenha crescido entre 5 e 6% na última década, o ímpeto governamental que houve para esse desenvolvimento permaneceu escondido — ao contrário da reforma agrária dos anos 50 e 60. Além disso, a renda ganha com o aumento do comércio foi para uma pequena classe de investidores. Por exemplo, desde 1991 o governo vendeu 150 das 314 empresas estatais, mas o benefício das vendas foi para um pequeno punhado de pessoas.

A crise econômica mundial de 2008-2009 teve um efeito devastador para os egípcios que já viviam precariamente. Muitos dos mais pobres enfrentaram a fome. Depois, a queda nos preços e nas receitas do petróleo fizeram com que muitos dos trabalhadores egípcios em outros países perdessem sua reserva econômica. Eles não puderam mais fazer as remessas de dinheiro para casa e muitos tiveram de voltar de forma humilhante.

O estado nasserista, com todos os seus problemas, teve legitimidade porque era visto como um estado para a massa dos egípcios, tanto fora quanto dentro do país. O atual regime é visto no Egito como um estado para os outros — para os Estados Unidos, Israel, França e Reino Unido — e é um estado para poucos — os novos ricos neoliberais.

O islã não é levado em conta nesta análise por não ser uma variável independente. Os movimentos islâmicos tem servido para protestar contra a ausência do estado diante de suas responsabilidades e para oferecer serviços. Mas eles são um sintoma, não uma causa. É por isso que a nomeação por Mubarak de militares para ocupar os cargos de vice-presidente e de primeiro-ministro não são suficientes em si para enfrentar a crise. Eles, como homens do Sistema, não tem mais legitimidade que o presidente — talvez até menos.

Traduzido para o português por Viomundo


Fonte: via blog Viomundo

Com quem fica o Arquivo Nacional

Queridos leitores,

Noticia publicada em 04/01/2011 no site da Revista de História da Biblioteca Nacional.
Leiam com atenção.

Até mais,

Profª Viviane

*******
04/01/2011

Com quem fica o Arquivo?
Decisão de devolver a gestão do Arquivo Nacional ao Ministério da Justiça causa polêmica entre arquivistas. Há receio de que haja perda da estabilidade conquistada na última década
Alice Melo

A decisão do novo ministro-chefe da Casa Civil, Antônio Palocci, de transferir a gestão do Arquivo Público Nacional (AN) para o Ministério da Justiça (MJ), tem causado polêmica entre arquivistas, historiadores e gente com interesse no passado do país.
Circula pela internet um abaixo-assinado contra a transferência. Na segunda-feira (3), a Associação dos Servidores do Arquivo Nacional (Assan) publicou uma nota em que critica a “falta de diálogo” e chama a devolução de retrocesso nos avanços obtidos nos últimos dez anos, além de uma possível barreira no processo de abertura dos arquivos da Ditadura Militar.
“Não se tratam de qualquer demérito ao MJ ou ao seu ministro. Mas é necessário destacar a inadequação do AN diante das atribuições daquele ministério. (...) A volta ao MJ dez anos depois encontra tanto o AN quanto o ministério transformados pelas demandas que a sociedade e o Estado esperam deles. E inadequados um ao outro”, diz a nota.
Em entrevista à "RHBN", o presidente da Assan, Eduardo Lima, explicou a resistência dos funcionários do arquivo em aceitar a transferência para um órgão cuja principal preocupação é a segurança pública.
“O temor dos servidores é que estejamos regredindo ao passado. Sob a administração do Ministério da Justiça, éramos apenas um penduricalho do sistema.” E continua: “Com o Arquivo administrado pela Casa Civil, houve aumento de salário, maior repasse de verbas, investimento em equipamentos, restauração de todo o prédio histórico da sede, além de maior peso junto ao Governo”.
Segundo Lima, o salário dos servidores é constituído, em sua maior parte, por incentivos. A cada cinco anos, ou o incentivo é incorporado ao salário do funcionário ou pode ser retirado pelo governo, um dos principais temores dos associados. “Vivemos sob uma constante insegurança financeira. Lutamos por um plano de carreira próprio.”

Documentos da ditadura
Sobre a questão dos documentos da ditadura, o que se discute é até que ponto poderia o Ministério da Justiça interferir na abertura dos arquivos, assunto naturalmente polêmico.
“Haverá prejuízo em todos os papéis do AN. Pode-se perguntar, por exemplo, se o desafio da abertura dos arquivos da ditadura estará fortalecido ou enfraquecido com a vinculação do AN ao ministério cuja vocação é a segurança pública”, questiona a nota.
No mesmo dia em que a nota foi publicada, começou a circular na internet o abaixo-assinado a favor da permanência do Arquivo Nacional sob domínio da Casa Civil. Endereçada a Palocci, a petição acusa a decisão do ministro de ser um retrocesso para as políticas arquivísticas de gestão de documentos e acesso a informações no Brasil, propondo uma reversão da decisão.
O Arquivo Nacional passou ao controle da Casa Civil em 2000, no final do governo de Fernando Henrique Cardoso. Neste domingo (2), Antônio Palocci retransferiu a gerência da instituição ao Ministério da Justiça. Em seu discurso de posse, o ministro declarou que a Casa Civil, a partir de então, concentraria apenas suas “funções originais de assessoramento da Presidência”.

Mais uma catástrofe no Rio de Janeiro

Mais um começo de ano complicado para os fluminenses, em 2010 a bola da vez foi a região de Angra dos Reis que foi duramente atingida e várias pessoas morreram.Vale lembrar que a catastrofe ocorreu devido a ocupações irregulares em locais sem estrutura para receber as moradias.
2011 começou e as chuvas foram implacáveis na região sudeste atingindo Minas, Espirito Santo, São Paulo e o Rio de Janeiro que foi sem dúvida o lugar mais devastado pelas chuvase deslizamentos.


A região mais atingida foi a serrana que engloba cidades como Teresópolis, Petrópolis e Nova Friburgo, o cenário é bem perturbador.
Na imagem acima é possivel ver a parte do morro que veio abaixo levando várias residencias na região.

As casas que ficaram de pé parece ser feita de papel, a tragédia foi democrática levou a vida de pobres e ricos.

Em muitos lugares o que se viu foi a destruição e parecia que estavamos vendo um filme na tv.

Os bombeiros e voluntários trabalhando para resgatar as vitimas e os sobreviventes.

A tristeza dos familares e amigos.

 Os desabrigados e desalojados foram reunidos em ginásios e escolas da região e recebem donativos para continuar no local.
 Roupas, colchões, material de higiene pessoal e ração seca estão entre as doações recebidas, além de água potável.
Hospitais de campanha do exercito para ajudar a cuidar dos feridos.

Espero que no início do próximo ano a mãe natureza seja mais amável com nós pobres mortais e nos poupe de tanta tristeza.

Abraços

Profª Viviane

Acabou-se o que era doce!

Caros leitores,

Bem vindos a 2011.
Não posso dizer que o ano já começou por que o Carnaval será em março...logo o país só funciona pós Carnaval (rs).
Mas as escolas particulares já estão de volta e logo a rede estadual também..então vamos ao que interessa.
Muitos assuntos interessantes circularam na rede nesse periodo de ausência, o objetivo e selecionar assuntos principalmente de conhecimentos gerais e deixa-los a disposição por aqui.
Neste ano pretendo abrir o leque e proporcionar aos leitores um blog mais completo.
Espero que gostem e aguardo sugestões

Abraços

Profª Viviane

São Paulo abandonada pelo Prefeito Gilberto Kassab



São Paulo também foi atingida pelas chuvas de mês de janeiro esse video mostra como a cidade está abandonada pela administração pública.

Alagamento na Marginal Tietê

Alagamento na região da Pompéia

Resgate dramático de Dona Ilair na região Serrana do Rio de Janeiro



Estou muito triste por que sei como a Dona Ilair se sentiu com o medo de ser arrastada pelo rio e salvar seu cãozinho..eu não sei o que faria.Triste

Catástrofe em Franco da Rocha - São Paulo



As imagens acima chocam mas como todos os anos em janeiro o Brasil sofre com as enchentes e deslizamentos, nesse caso Franco da Rocha já tinha sido atingida pelas chuvas quando a SABESP em nome da preservação da represa Paiva Castro abriu as comportas para evitar o pior.