quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Cronologia: Soterramento dos mineiros chilenos

Caros alunos,

Com a proximidade das provas do ENEM, Vestibulares e Etecs é sempre importante ler e acompanhar sobre as noticias para ter argumentos seja em uma redação ou para pensar naquela alternativa que mais se adequa.
Vou iniciar uma série de posts sobre atualidades para ajudar na preparação.
Para começar escolhi o tema sobre os mineradores na mina de São Jose no Chile.
Vamos entender como tudo começou:
Janeiro/2010

Em 19 de janeiro de 2010 o terremoto foi em Santiago do Chile, e teve a magnitude de 5,1 graus na escala Richter. O epicentro do terremoto do Chile foi 40 km ao norte de Los Andes e a 117 km da capital, Santiago.

Fevereiro/2010

Em fevereiro, o terremoto aconteceu na madrugada de sábado, dia 27. Um abalo sísmico de 8,8 graus na escala Richter, levou caos e destruição ao Chile: prédios caíram. Nas primeiras notícias publicadas nos sites mais lidos da internet, no início da manhã de 27 de fevereiro, ao menos 78 pessoas haviam sido dadas como mortas. Quatro dias depois do terremoto do Chile, o número ultrapassou 802 óbitos (03/03/2010). O epicentro foi na região central do Chile e países vizinhos como o Brasil, sentiram os seus efeitos. Em São Paulo o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil foram chamados para verificar pequenos tremores. O Aeroporto Internacional de Santiago foi fechado por tempo indeterminado.
Telefone e internet foram afetados nos locais próximos ao epicentro. A tsunami provocada pelo terremoto atingiu a Ilha Robinson Crusoé, perto de Valparaíso. Na Ilha de Páscoa, costa chilena, os moradores foram retirados de suas casas pelo risco de novo tsunami.

Para quem acompanha a matéria de geografia, depois que ocorre o epicentro de um terremoto seus efeitos (ondas) continuam a se propagar pela crosta terrestre provocando pequenos abalos muitas vezes imperceptíveis. Ontem assistindo aõ Band News o geologo que estava acompanhando o resgate foi categórico: o abalo na mina foi em decorrencia do terremoto ocorrido em fevereiro.

Agosto/2010

5: 33 mineiros ficam presos na mina de ouro e cobre de San José (800 km ao norte de Santiago), após um desabamento. O presidente chileno, Sebastián Piñera, garante que seu governo fará "tudo o humanamente possível" para resgatar os sobreviventes.
7: Novos desabamentos bloqueiam as tentativas de resgate e exigem a busca de novas alternativas.
12: O ministro da Mineração, Laurence Golborne, estima que são "escassas" as probabilidades de se encontrar alguém com vida.
22: Os 33 mineiros são encontrados com vida graças a uma sonda, após 17 dias sem contato. Em uma mensagem escrita avisam que "os 33 estão bem".
23: Recebem os primeiros suprimentos por meio de um duto de 12 cm de diâmetro.
25: As autoridades anunciam que os "33" sabem que o resgate será lento, de três a quatro meses. Primeira troca de correspondência entre os mineiros e seus familiares.
26: A TV difunde as primeiras imagens dos 33 homens e de seu refúgio sob a terra.
29: Primeiros diálogos por telefone com familiares e mensagem de apoio do Papa. O refúgio é deslocado para uma parte mais seca da mina.
30: Começa a perfuração do primeiro duto de resgate, por uma perfuratriz Strata 950.

Setembro/2010

4: Mineiros e familiares conversam por videoconferência.
5: Início do segundo duto de resgate, chamado de Plano B, por uma perfuratriz T-130.
17: A T-130 chega aos mineiros a 630 metros sob a terra, mas o diâmetro do duto precisa ser ampliado para a passagem da cápsula de resgate.
19: Uma perfuratriz petroleira inicia um terceiro poço, o Plano C, com diâmetro de 66 cm.
25: Chega à mina a primeira cápsula de resgate.

Outubro/2010

1: As autoridades anunciam que o resgate dos mineiros ocorrerá na "segunda quinzena de outubro".
3: O poço (ampliado) mais avançado (Plano B) se encontra a 200 metros dos mineiros.
4: O presidente Sebastian Piñera, que tem uma viagem internacional prevista para 15 de outubro, diz que "espera poder resgatá-los antes de partir para a Europa".
5: Os familiares fazem um ato para lembrar os dois meses do drama. O chefe das operações, André Sougarret, diz que a data do início do resgate dependerá do revestimento do duto por uma tubulação metálica.
6: A equipe de 16 membros do resgate final é apresentada.
7: O ministro Golborne diz que a perfuração chegará aos mineiros no sábado, 9 de outubro.
9: A T-130 termina o duto de resgate com o diâmetro final, o que gera imediata celebração entre técnicos e familiares. O ministro Golborne revela que haverá um revestimento parcial do duto e que será montado um sistema para içar a cápsula, estimando que os mineiros sairão por volta da "quarta-feira", dia 13 de outubro.
10: Tem início o revestimento de 96 dos 622 metros do duto para retirar os mineiros.
11: Fim do revestimento do duto, em um trecho reduzido para 56 metros.
13: O resgate do primeiro mineiro acontece às 00H11, quando Florencio Ávalos, o capataz, chega à superfície, içado pela cápsula. Seis socorristas desceram ao fundo da mina para ajudar na operação. O líder dos mineiros, o topógrafo Luis Urzúa, foi o último trabalhador a chegar à superfície, às 21H55. Duas horas mais tarde a operação foi concluída com a saída do chefe dos socorristas, Manuel González, o último homem a deixar a mina San José.

fonte: uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não será permitido comentários ofensivos.