sexta-feira, 27 de agosto de 2010

2ª Olimpiada de História: Arquivo em PDF

Atendendo as sugestões dos participantes, a Organização da ONHB disponibiliza a segunda fase online em formato pdf. Agora as questões ocupam menos espaço na página e a impressão ficou mais leve e barata. Toda a prova pode ser visualizada em apenas 13 páginas.
Dicas ecológicas
Dá para imprimir frente e verso, economizando papel. A versão impressa é uma excelente oportunidade para debater as questões em grupo. No intervalo das aulas ou na hora do lanche.
Dá para estudar offline (desconectado), lendo a prova no computador. O formato pdf é leve e as páginas deslizam facilmente.
Também é possível enviar o documento por email, facilitando a vida das equipes com dificuldade para reunir, presencialmente, todos os membros.

2ª Olimpiada de História: 2ª fase

Os participantes da 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil iniciam hoje, 27/08, a segunda fase online. Agora, as equipes têm até às 23h59 (horário de Brasília) da próxima quarta-feira, 1 de setembro, para enviar as respostas desta segunda etapa.
Assim como na primeira fase, os participantes devem responder a nove questões de múltipla escolha e realizar uma tarefa. Museus, Conjuração Baiana, Amazônia e escravidão são alguns dos assuntos abordados. Como tarefa, as equipes devem entrevistar duas pessoas e elaborar um resumo das informações coletadas.
Continuam na Olimpíada mais de 38 mil participantes, entre professores e estudantes. De acordo com o regulamento, cerca de 90% das equipes passaram para a etapa seguinte da competição. Para saber se foram aprovadas ou não, as equipes devem acessar a página do grupo, por meio de login de usuário e senha.
Na página da equipe é possível consultar a primeira fase comentada. Logo abaixo das questões de múltipla escolha estão os comentários da equipe responsável pela elaboração da prova. Vale a pena conferir e aprender um pouquinho mais!

Encontro de Filatelia



quarta-feira, 25 de agosto de 2010

ATENÇÃO : VESTIBULINHO PARA AS ETECS

Queridos alunos
Atenção aos calendários das ETECS:
Calendário
Encontre aqui a programação para o Processo Seletivo Vestibulinho 1º SEM/11.

•De 01/10 até as 15h do dia 22/10/10 - Inscrições do Processo Seletivo
•A partir de 16/11/10 - Divulgação dos locais de Exame•21/11/10 (domingo), às 13h30min - Exame•21/11/10 (domingo), a partir das 18h - Divulgação do gabarito oficial•A partir de 13/01/11 - Divulgação da lista de classificação geral
•17 e 18/01/11 - Divulgação da 1ª lista de convocação e matrícula
•19 e 20/01/11 - Divulgação da 2ª lista de convocação e matrícula
•21/01/11 - Divulgação da 3ª lista de convocação e matrícula
•24/01/11 - Divulgação da 4ª lista de convocação e matrícula
•26/01/11 - Divulgação da 5ª lista de convocação e matrícula
Valor da taxa de inscrição
R$ 25,00 (vinte e cinco reais), para o ensino médio e todos os cursos do ensino técnico.

domingo, 22 de agosto de 2010

II Olimpiada de História: Como responder as perguntas no site

As respostas devem ser enviadas até às 23h59 (horário de Brasília) da próxima terça-feira (24/08). Para acessar a prova da primeira fase, os participantes devem utilizar login e a senha, enviados por e-mail ao orientador da equipe.

As equipes devem clicar no link ENTRAR, localizado no canto superior direito da página da Olimpíada, logo abaixo da frase MINHA EQUIPE. Ao digitar os dados de usuário e senha, e clicar em ENTRAR, os participantes serão redirecionados para a página da equipe. Digite corretamente os dados de usuário e senha, verificando maiúsculas e minúsculas.

Dentro da página da equipe, os participantes podem visualizar as questões da primeira fase. Para isso, é necessário clicar em FAÇA A PROVA da primeira fase. Ao acessar cada questão, os participantes podem selecionar a opção que considerar mais adequada como resposta.

ATENÇÃO: note que, ao clicar na opção, o sistema registrará a seleção como RASCUNHO. Se a equipe estiver certa da alternativa, deve clicar em CONFIRMAR A OPÇÃO, no botão amarelo, localizado logo abaixo da questão.

A ONHB disponibiliza uma série de documentos tais como, fotos, textos e ilustrações. Os candidatos podem pesquisá-los à vontade. É uma dica para responder bem cada questão da Olimpíada.

Eventuais dúvidas serão respondidas, exclusivamente, pelo email oficial olimpiadadehistoria@gmail.com

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Atenção alunos inscritos na fase regional : Viagem do Conhecimento

Algumas informações importantes:

Data: 21 de agosto de 2010
Local: Colégio Cachoerinha
Horário: 10 horas - chegue pelo menos uma hora antes, a previsão de termino às 13 horas(segundo o fuso de Brasíla).

O que você deve levar:

Documento de identidade (RG) original
Material: Caneta (preta ou azul), lápis, borracha e apontador
Durante a prova: chocolate, barra de cereais, água ou refrigerante...tudo ajuda para se manter acordado durante a prova

Dica: Como você está representando a sua escola é legal você ir com a camiseta da escola, afinal tenha orgulho de fazer parte dela.

O gabarito será divulgado no site no dia 10 de setembro a partir das 15 h (horário de Brasília).

Boa sorte a todos!!!
Beijos

Profª Viviane

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

II - Olimpiada de História

Nesta quinta-feira, 19, Dia Nacional do Historiador, mais de 65 mil estudantes e professores de história de todo o país devem participar da 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil (ONHB), organizada pelo Museu Exploratório de Ciências (MC), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Realizada em cinco fases online e uma presencial, a competição teve quadruplicado os pedidos de inscrição, em relação à edição 2009.

Dois meses separam os participantes da final. Com duração de uma semana, cada fase virtual acumulará pontos. A somatória qualificará até 300 equipes para participar da etapa presencial e da cerimônia de premiação, que acontecem na Unicamp, nos dias 23 e 24 de outubro. Ao todo, o MC distribuirá 75 medalhas: 15 ouros, 25 pratas e 35 bronzes. Os demais finalistas receberão menções de honra.

O MC custeará com o apoio do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da empresa Azul Linhas Aéreas Brasileiras, transporte, hospedagem e alimentação para 32 equipes. Após a final da ONHB, os professores responsáveis por essas equipes permanecerão na Unicamp para capacitação de uma semana. Na programação: aulas com historiadores da universidade e visitas guiadas a bibliotecas, arquivos e museus do estado de São Paulo.

As escolas premiadas com medalhas de ouro serão contempladas com livros para o acervo da biblioteca e a assinatura da Revista de História da Biblioteca Nacional por um ano.


Sobre
A 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil é uma iniciativa do Museu Exploratório de Ciências da Unicamp. O evento é patrocinado pelo CNPq e tem o apoio da Revista de História da Biblioteca Nacional. A 1ª edição, realizada em 2009, inscreveu mais de 15 mil participantes e reuniu cerca de duas mil pessoas na final presencial, realizada na Unicamp, nos dias 12 e 13 de dezembro.

A ONHB é concebida e elaborada por historiadores e professores de história do MC e da Unicamp. Como proposta, os participantes têm a oportunidade de trabalhar com temas fundamentais da história nacional e de conhecer de perto as práticas e metodologias utilizadas pelos historiadores.



Viviane Comunale
www.historiaemrevista.blogspot.com

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Fórum em Porto Alegre discute a Arte Tumular - Atualizada



C.B.E.I: Feira do conhecimento

Queridos alunos,

Chega mais uma Feira do Conhecimento que tem por objetivo difundir o conhecimento sobre o tema escolhido entre os alunos no nosso colégio.
Esse ano a equipe sorteada para ficar comigo vai pesquisar sobre o tema:
"O MODERNISMO: A arte brasileira"
Para ajudar nas pesquisas posto abaixo diversos links que podem ajudar a montar a pesquisa de vocês lembre-se não é apenas copiar e colar o texto, leia e veja se o assunto abordado no site tem relação com o seu tema. Vamos evitar ter que refazer o trabalho ok?
Segue abaixo alguns links para nortear a pesquisa:

http://bethccruz.blogspot.com/2008/11/os-grandes-pintores-do-modernismo.html
http://pripoca.wordpress.com/2009/03/03/os-grandes-pintores-do-modernismo-brasileiro/
http://www.itaucultural.org.br/aplicexternas/enciclopedia_ic/index.cfmfuseaction=termos_texto&cd_verbete=359
http://www.mundosites.net/artesplasticas/artemoderna.htm
http://www.mac.usp.br/mac/templates/projetos/seculoxx/modulo2/modernismo/index.html
http://www.artesbr.hpg.ig.com.br/Educacao/11/interna_hpg7.html
http://www.suapesquisa.com/artesplasticasbrasil/
http://www.pintoresfamosos.com.br/?pg=portinari
http://www.brasilescola.com/literatura/artistas-da-arte-moderna.htm
http://wwwhttp//bravonline.abril.com.br/conteudo/escola/anita-malfatti-impulsionando-modernismo-brasil-551398.shtml.pitoresco.com.br/brasil/textos/semana.htm
http://www.museuscastromaya.com.br/colecoes.htm
http://jotablog.com/semana-da-arte-moderna-de-1922-artistas-modernistas-movimento-e-pintores/
http://www.esteta.com.br/noticia.php?intNotID=173
http://www.historiadaarte.com.br/modernismo.html
http://educaterra.terra.com.br/voltaire/cultura/2005/11/17/001.htm

Existem também nos livros de português capitulos direcionados ao modernismo brasileiro focando a parte dos escritores, busque em nossa biblioteca esses livros.

Bom trabalho a todos!
Profª Viviane

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

RIGHINI: Olimpiada de História

Queridos,

Fico muito feliz em saber que aqueles que aceitaram participar da Olimpiada de História tem a plena confiança de que podem competir e mostrar o seu conhecimento em um projeto tão bacana patrocinado pela UNICAMP.
Como eu deixei uma tarefa para vocês me entregarem até 2º feira, posto abaixo alguns links para ajudar na pesquisa:


http://www.mc.unicamp.br/2-olimpiada/inicio/index- Site oficial da Olimpiada
http://www.hlera.com.br/resumo_livros/?fnc=ver&id=12 - Carta de Pero Vaz de Caminha
http://passadocurioso.blogspot.com/2008/12/santos-do-pau-oco.html- Os santos do pau oco
http://www.brasilescola.com/informatica/revolucao-do-computador.htm - os primeiros computadores no Brasil

Esses são apenas uns links mas ainda tem mais coisa pela net.
Beijos
Profª Viviane

III Desafio National Geographic- Informações

Queridos,

Atenção para os procedimentos da prova regional da NG.

O desafio:

• Data: 21 de agosto de 2010
• Local: nas escolas-sede regionais indicadas pelo Comitê Gestor do Desafio National Geographic 2010
• Horário: os alunos devem comparecer ao local indicado às 9h30. A prova terá início às 10 horas com término às 13 horas. Tendo como referência o horário de Brasíla.
• Outras informações importantes:
• Fica a critério de cada professor acompanhar ou não os alunos à sede regional selecionada. O mesmo em relação aos familiares. É importante destacar que nem todas as escolas sede têm estrutura física para montar salas para professores e pais. Mesmo assim, em anos anteriores muitas escolas reservaram um sala especial para aqueles que aguardavam os estudantes. Fica a critério de cada escola. O importante, claro, é oferecer uma boa estrutura para os estudantes fazerem a prova.
• Obrigatoriamente os estudantes deverão portar um documento de identidade. Serão aceitos o RG ou a Carteira de Estudante originais ou ainda uma cópia da Certidão de Nascimento.
• A prova impressa será enviada pela Editora Abril a todas as escolas-sedes indicadas pelo Comitê Gestor. A prova tem 25 questões de múltipla escolha e uma dissertação.
• O tempo mínimo da prova é de 1 hora. O máximo, de 3 horas.
• O gabarito será divulgado no site no dia 10 de setembro a partir das 15 h (horário de Brasília).

beijos a boa preparação

Profª Viviane

sábado, 7 de agosto de 2010

O fim da TV Cultura - Blog do Daniel Castro

http://noticias.r7.com/blogs/daniel-castro/2010/08/04/bomba-tv-cultura-vai-cortar-programas-e-demitir-1-400/


Ex-secretário de Cultura do Estado de São Paulo, João Sayad assumiu a presidência da TV Cultura em junho com a missão de reduzir a TV pública paulista a uma simples TV estatal. Com o aval do ex-governador José Serra e do atual governador, Alberto Goldman, Sayad pretende reduzir ao máximo a produção de programas e cortar o número de funcionários em quase 80%, dos atuais 1.800 para 400.

Sayad pensa até em vender o patrimônio da TV Cultura. Já encomendou aos advogados da emissora um estudo sobre a viabilidade de a Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV, se desfazer de seus estúdios e edifícios na Água Branca, em São Paulo.

Em reuniões com diretores da emissora, Sayad tem dito que a Cultura não precisa ter mais do que 400 funcionários, que ficariam, segundo ele, muito bem instalados em um andar de um prédio comercial. A postura evidencia que a TV Cultura deixou de ser uma questão de política pública. Passou a ser um "pepino", um problema a ser eliminado pelo governo do Estado.

Fontes ouvidas pelo blog informam que Sayad vive dizendo que irá transformar a Cultura, hoje produtora de programas, em uma coprodutora. Ou seja, ela deixará de produzir programas de entretenimento. Passará a encomendá-los a produtoras independentes e a comprá-los no mercado internacional. Atrações como o Metrópolis podem estar em seus últimos dias.

O jornalismo da Cultura deixará de investir no noticiário do dia a dia, caro e mais bem produzido pelas redes comerciais. A partir de setembro, o Jornal da Cultura, com Maria Cristina Poli, passará a ser um jornal mais de debates, de discussão sobre o noticiário, do que de notícias.

Corte de receitas

A TV Cultura tem hoje um orçamento de cerca R$ 230 milhões. Desse total, R$ 50 milhões vêm da venda de espaço nos intervalos dos programas para anunciantes privados. Outros R$ 60 milhões são oriundos da prestação de serviços, como é chamada na emissora a produção de programas e vídeos para instituições como o Tribunal Superior Eleitoral, a Procuradoria da República, a TV Assembleia (do Estado de S.Paulo) e a TV Justiça.

Pois a gestão de Sayad já iniciou o desmonte dessas duas fontes de recursos. Até o ano que vem, a TV Cultura não terá mais nenhuma publicidade comercial em seus intervalos nem produzirá mais programação para órgãos públicos (a publicidade institucional, irrisória, será mantida). Dessa forma, reduzirá uma boa parte do seu número de funcionários.

Se o plano for executado, a TV Cultura sobreviverá apenas dos R$ 70 milhões que o governo do Estado aporta diretamente todos os anos, além de outros R$ 50 milhões que ela recebe pela produção de conteúdo para as secretarias estadual e municipal de Educação.

Demissões em massa

O plano de demissões de Sayad é mais complexo. Por causa das eleições de outubro, ele não pode demitir funcionários contratados em regime de CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) até dezembro. A Cultura tem entre 1.000 e 1.200 funcionários celetistas. Esses trabalhadores têm emprego garantido até janeiro. Depois, dependem da postura do novo governador do Estado. Para demitir funcionários celetistas, Sayad precisará do apoio do futuro governador, porque terá de contar com verbas extras para pagar as indenizações.

Já os profissionais contratados como pessoas jurídicas (os PJs, pessoas que têm microempresas) podem ser "demitidos" a qualquer momento. Eles seriam de 600 a 800. Os cortes devem ser feitos à medida que contratos de prestação de serviços, como o da TV Assembleia, forem vencendo e não renovados.

Outro lado

O blog tentou ouvir o presidente da Fundação Padre Anchieta, João Sayad, sobre as mudanças que ele pretende implantar na TV Cultura. Na última segunda-feira, por meio da assessoria de imprensa da emissora, pediu uma entrevista. Ontem à tarde, a TV Cultura informou que Sayad não falaria com o R7.

As informações aqui publicadas foram relatadas previamente à assessoria de imprensa da TV Cultura. Nada foi negado.

O fim da TV Cultura - Blog do Luis Nassif

Esse é o triste fim de uma tv que produzia programas e jornais inteligentes. Leiam o texto até o final e repassem para as suas listas de contatos.
As pessoas precisam saber.

Bjs
ProfªViviane

Blog do Luis Nassif:
http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-desmonte-final-da-tv-cultura#comment-135855


O desmonte final da TV Cultura
Enviado por luisnassif, qua, 04/08/2010 - 09:36

Infelizmente a marca que fica de sucessivas gestões paulistas é a da incapacidade de recuperar qualquer órgão público, por mais relevante que seja. Não houve um só movimento para recuperar a capacidade de planejamento da Fundap, Cepam, para arejar a Fundação Seade, para capacitar o DER, a CESP.
É como se o Estado não acreditasse em sua capacidade de gestão. Em vez de estratégias de racionalização, a serem aplicadas a cada caso, transforma-se terceirização e privatização em peça central, em dogma absoluto de política pública. E sempre aberto a toda sorte de manobras,
como o caso escandaloso da Cultura Marcas, na gestão Marcos Mendonça, que Sayad varreu para baixo do tapete.
Não se olha o potencial não explorado de nenhuma instituição paulista.
Todas são meramente centros de custos para administradores sem nenhuma imaginação e nenhuma vontade de pegar no batente.

Por bene

É o enterro final da TV Cultura?
Vão demitir 1400 funcionários, vender estúdios...
Triste fim. Muito triste.

Bomba: TV Cultura vai cortar programas e demitir 1.400
Ex-secretário de Cultura do Estado de São Paulo, João Sayad assumiu a presidência da TV Cultura em junho com a missão de reduzir a TV pública paulista a uma simples TV estatal. Com o aval do ex-governador José Serra e do atual governador, Alberto Goldman, Sayad pretende reduzir ao máximo a produção de programas e cortar o número de funcionários em quase 80%, dos atuais 1.800 para 400.

Sayad pensa até em vender o patrimônio da TV Cultura. Já encomendou aos advogados da emissora um estudo sobre a viabilidade de a Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV, se desfazer de seus estúdios e edifícios na Água Branca, em São Paulo.
Em reuniões com diretores da emissora, Sayad tem dito que a Cultura não precisa ter mais do que 400 funcionários, que ficariam, segundo ele, muito bem instalados em um andar de um prédio comercial. A postura evidencia que a TV Cultura deixou de ser uma questão de política
pública. Passou a ser um "pepino", um problema a ser eliminado pelo governo do Estado.
Fontes ouvidas pelo blog informam que Sayad vive dizendo que irá transformar a Cultura, hoje produtora de programas, em uma coprodutora. Ou seja, ela deixará de produzir de produzir programas de entretenimento. Passará a encomendá-los a produtoras independentes e a
comprá-los no mercado internacional. Atrações como o Metrópolis podem estar em seus últimos dias.
O jornalismo da Cultura deixará de investir no noticiário do dia a dia, caro e melhor produzido pelas redes comerciais. A partir de setembro, o Jornal da Cultura, com Maria Cristina Poli, passará a ser um jornal mais de debates, de discussão sobre o noticiário, do que de notícias.
Corte de receitas

A TV Cultura tem hoje um orçamento de cerca R$ 230 milhões. Desse total, R$ 50 milhões vêm da venda de espaço nos intervalos dos programas para anunciantes privados. Outros R$ 60 milhões são oriundos da prestação de serviços, como é chamada na emissora a produção de programas e vídeos para instituições como o Tribunal Superior Eleitoral, a Procuradoria da República, a TV Assembleia (do Estado de S.Paulo) e a TV Justiça.
Pois a gestão de Sayad já iniciou o desmonte dessas duas fontes de recursos. Até o ano que vem, a TV Cultura não terá mais nenhuma publicidade comercial em seus intervalos nem produzirá mais programação para órgãos públicos (a publicidade institucional, irrisória, será mantida). Dessa forma, reduzirá uma boa parte do seu número de funcionários.
Se o plano for executado, a TV Cultura sobreviverá apenas dos R$ 70 milhões que o governo do Estado aporta diretamente todos os anos, além de outros R$ 50 milhões ela que recebe pela produção de conteúdo para as secretarias estadual e municipal de Educação.

Demissões em massa

O plano de demissões de Sayad é mais complexo. Por causa das eleições de outubro, ele não pode demitir funcionários contratados em regime de CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) até dezembro. A Cultura tem entre 1.000 e 1.200 funcionários celetistas. Esses trabalhadores têm emprego garantido até janeiro. Depois, dependem da postura do novo governador do Estado. Para demitir funcionários celetistas, Sayad precisará do apoio do futuro governador, porque terá de contar com verbas extras para pagar as indenizações.
Já os profissionais contratados como pessoas jurídicas (os PJs, pessoas que têm microempresas) podem ser "demitidos" a qualquer momento. Eles seriam de 600 a 800. Os cortes devem ser feitos à medida que contratos de prestação de serviços, como o da TV Assembleia, forem vencendo e não renovados.

Outro lado

O blog tentou ouvir o presidente da Fundação Padre Anchieta, João Sayad, sobre as mudanças que ele pretende implantar na TV Cultura. Na última segunda-feira, por meio da assessoria de imprensa da emissora, pediu uma entrevista. Ontem à tarde, a TV Cultura informou que Sayad não falaria com o R7.
As informações aqui publicadas foram relatadas previamente à assessoria de imprensa da TV Cultura. Nada foi negado.


Movimento Salve a TV Cultura
Enviado por luisnassif, qua, 04/08/2010 - 10:50

Não tenho por hábito estimular movimentos de mobilização pela Internet. Mas esse caso da TV Cultura não pode ficar assim.
Não é possível que o trabalho de gerações de paulistas, que a tradição criada por Roberto Muylaert seja destruída pela postura imperial de um presidente indicado pelo governo do Estado. Não se pode deixar João Sayad promover esse desmonte. Montou-se um Conselho supostamente representativo da sociedade civil paulista, mas que só tem servido para sancionar decisões que partem do governo do Estado.
Nos últimos anos, a TV Cultura foi uma caixa preta. Apesar de indícios veementes de irregularidades, o conselho passou ao largo da gestão Marcos Mendonça. A blindagem proporcionada pela mídia a todos os atos de governo garantiu esse silêncio atroz, um pacto de cumplicidade naquele que deveria ser o Estado por excelência da afirmação da sociedade civil.
Há diversas funções das mais relevantes a serem cumpridas pela TV Cultura. Há uma cultura paulista espalhada por todo o Estado à espera de divulgação, há novas gerações de músicos aguardando espaço, há uma discussão ampla sobre os rumos do estado e do país. Como emissora pública, a TV Cultura teria espaço para prestar serviços a órgãos públicos - como já faz -, tem facilidade para captar recursos pela Lei Rouanet. Poderia se montar um trabalho amplo de mobilização junto às empresas paulistas.
Poderia ser o veículo por excelência das Secretarias da Educação, da Cultura, da Gestão. Mas nas vezes em que se ensaiou essa parceria, foi apenas para validar negócios de ONGs controladas por aliados políticos. Todo esse potencial é deixado de lado pela postura fácil do desmonte.
Fica aqui a sugestão para a criação de um Movimento Salve a TV Cultura.
O Blog ficará à disposição dos que tiverem propostas, ideias e
mobilização para essa empreitada que é questão de honra para São Paulo.
Coloque no seu Twitter o hashtag #salveaTVCultura
http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/movimento-salve-a-tv-cultura


sexta-feira, 6 de agosto de 2010

III Desafio National Geographic

Queridos alunos,

Mais uma vez a National Geographic disponibilizou certificados de participação para os alunos que estiveram no projeto "Viagem do conhecimento".
Como incentivo forma premiados os 10 melhores resultados na prova.















A aluna do 9º ano Bianca Cruz, com o melhor desempenho do colégio.









A aluna do 9º ano Jéssica Nádia



A aluna Mayara Zampieri do 9º ano





Gabriela Lima aluna do 9º ano












O aluno Lucas do 9º ano que ficou novamente entre os melhores resultados do desafio

Matheu Fahl aluno do 8º ano















O aluno do 9º ano Paulo que pela foto não acreditou no que estava acontecendo









A aluna Thaina do 9º ano










A aluna Nathalia do 8º ano












quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Conheça o Pasnost: Um jeito diferente de conhecer São Paulo

Queridos,

Quer conhecer São Paulo? De um jeito bem diferente???
Acesse o link abaixo:


http://www.oseutaxi.com.br/new_ost/OSeuTaxi.php?lang=potuguese&at=pages&number=10

Beijos

Profª Viviane

A Arte funerária é tema de exposição em Porto Alegre

Meus caros,

Olhem o link abaixo:

http://entretenimento.uol.com.br/ultnot/2010/08/03/arte-funeraria-e-tema-de-exposicoes-e-forum-em-porto-alegre.jhtm

Beijos e depois postem o que acharam!!!

Introdução a filosofia de Edith Stein

Arte Contemporânea e Educação

Debate com o historiador Peter Burke

Debate com o historiador Peter Burke sobre Gilberto Freire:
dia 12 de agosto, quinta-feira às 18h30.

Gilberto Freyre: um retrato intelectualDebate Cedem/Unesp
Repensando os trópicos: um retrato intelectual de Gilberto Freyre, Editora Unesp, São Paulo – 2009, tradução de Fernanda Veríssimo do livro original: Gilberto Freyre: Social Theory in the Tropics, Peter Lang Ltd - 2008, dos autores Maria Lúcia Garcia Pallares-Burke e Peter Burke, será o centro do debate no próximo dia 12 de agosto, quinta-feira às 18h30, promovido pelo CEDEM – Centro de Documentação e Memória da UNESP.

Uma das características de Gilberto Freyre (1900-1987), é que ele via o Brasil tanto de um ponto de vista externo quanto interno. Maria Lúcia e Peter Burke também combinam com esses pontos de vista, já que ela é brasileira e ele inglês. O livro analisa a vida de Freyre como um todo, em vez de se concentrar em suas obras mais importantes e levanta uma ampla variedade de questões culturais e políticas, sem se limitar à análise de textos.
A obra avalia a sua importância como proeminente pensador social e historiador do Brasil, mas também discute Gilberto Freyre em seus papéis como crítico cultural e intelectual público, que se pronunciava sobre questões variadas, tais como arquitetura, raça, regionalismo e sexo. Conta também como lia e escrevia intensamente, tendo o apoio de familiares, amigos e discípulos que digitavam seus manuscritos (originalmente escritos a lápis) ou copiavam documentos para ele nos arquivos.

Expositores
Maria Lúcia Garcia Pallares-Burke
Graduação, mestrado, doutorado e livre docência - USP; Professora aposentada da FE/USP
Pós-doutorado e pesquisadora associada do Center of Latin American Studies – Universidade de Cambridge, historiadora e escritora
Peter Burke
Graduação em História - Universidade de Oxford, foi professor-visitante do IEA/USP e é fellow da British Academy
Professor aposentado de história da cultura - Universidade de Cambridge, historiador e escritor

Debatedores
Elide Rugai Bastos
Graduação em Filosofia – PUC/SP, Mestrado em Ciência Política - USP
Doutorado em Ciências Sociais – PUC/SP, Editora da revista Lua Nova (CEDEC) e Professora da UNICAMP
Thiago Lima Nicodemo
Graduação em Direito – PUC/SP e História - USP, Mestre e Doutor em História – USP
Professor de Teoria e Metodologia da História

Mediadora
Célia Reis Camargo
Graduação e mestrado em História – USP, Doutorado em História Social - UNESP
Professora do Depto de História - UNESP/Assis e Coordenadora do CEDEM

PARTICIPE E CONVIDE OS SEUS AMIGOS!

Inscrições gratuitas c/ Sandra Santos pelo e-mail: ssantos@cedem.unesp.br
Data e horário: 12 de agosto de 2010 (quinta-feira) às 18h30
Local: CEDEM/UNESP - Centro de Documentação e Memória
Praça da Sé, 108 - AUDITÓRIO no 7º andar, esquina c/ Rua Benjamin Constant (metrô Sé)
(11) 3105 - 9903 - www.cedem.unesp.br

terça-feira, 3 de agosto de 2010

SIMPÓSIO DE HISTÓRIA

Departamento de História (USP)
PROGRAMAÇÃO (AH: Anfiteatro de História – AG: Anfiteatro de Geografia)

28 de setembro (terça feira)
10h00.
Conferência Inaugural: “GUERRA JUSTA” E CONSTITUCIONALISMO EUROPEU: Mario Fiorillo (Università di Teramo) (AH)
14h00. A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL E A AMÉRICA LATINA: Roney Cytrynowicz, Maria Helena Capelato, Rodrigo Medina Zagni, Alfredo Salun (AH)
14h00. PAZ E VIOLÊNCIA NA IDADE MÉDIA: Marcelo Cândido da Silva, Neri de Barros Almeida, Maria Cristina Pereira, André Pereira Miatello (AG)
17h00. GUERRAS NA ERA MODERNA E ESPAÇO MUNDIAL: Henrique Carneiro, Rodrigo Ricupero, Pedro Puntoni, Marco Antonio Silveira (AH)
17h00 A GUERRA CIVIL AMERICANA E OS EUA DE HOJE: Leandro Karnal, Everaldo Andrade, Jorge Grespan, Maria Helena P. T. Machado (AG)
19h30 GUERRAS PÓS-COLONIAIS NA ÁFRICA SUBSAARIANA: Kabenguelé Munanga, Raphael Bicudo,Leila Hernandez, Marina Gusmão de Mendonça, Valério Arcary (AH)
19h30 GUERRA MUNDIAL E HOLOCAUSTO ATÔMICO NO JAPÃO: Takashi Morita [sobrevivente de Hiroshima], Marcia Yumi Takeuchi, Nadia Saito, Fernanda Torres Magalhães (AG)


29 de setembro (quarta feira)
10h00 GUERRA FRIA E ECONOMIA ARMAMENTISTA: Gilson Dantas, Angelo Segrillo, Pablo Rieznik, Joaquim Racy (AH)
10h00 CAPITALISMO AMERICANO E ECONOMIA DE GUERRA: Vitor Schincariol, Osvaldo Coggiola, José Menezes Gomes, Eduardo Perillo, Luiz E. Simões de Souza (AG)
14h00. GUERRA, GEOGRAFIA, GEOPOLÍTICA: Leonel Itaussu A. Mello, Wanderley M. da Costa, André Martin, Antonio Carlos Robert de Moraes (AH)
14h00. PAZ E GUERRA NO IMPÉRIO PORTUGUÊS: Ana Paula Torres Megiani, Márcia Berbel, Iris Kantor, Vera Ferlini (AG)
17h00 GUERRAS MUNDIAIS E GENOCÍDIOS: Samuel Feldberg, Pietro Delallibera, Ania Cavalcante, Heitor Loureiro (AH)
17h00 A GUERRA DO PARAGUAI E OS ESTADOS SUL-AMERICANOS: André Toral, José Aparecido Rolón, Gilberto Maringoni, João Paulo Garrido Pimenta (AG)
19h30 GUERRA DE GUERRILHAS E DITADURA MILITAR NO BRASIL: Ivan Seixas, Carlos Eugenio Clemente, Antonio Roberto Espinosa, Arthur Scavone, Wilson N. Barbosa (AH)
19h30 GUERRA E REVOLUÇÃO NA FRANÇA JACOBINA: Carlos Guilherme Mota, Priscila Correa, Miguel Nanni, Modesto Florenzano (AG)

30 de setembro (quinta feira)
10h00 GUERRA E CINEMA: Marcos A. Silva, Wagner Pinheiro Pereira, Maurício Cardoso, Alexandre Hecker (AH)
10h00 A GUERRA CIVIL ESPANHOLA: CLASSES, POLÍTICA, LITERATURA: Francisco Palomanes, Valeria De Marco, Antonio Rago (AG)
14h00 GUERRAS DE LIBERTAÇÃO NACIONAL (África Portuguesa, Oriente Médio, África do Norte): Lincoln Secco, Arlene Clemesha, Marcos Napolitano, José Arbex (AH)
14h00 GUERRA NOS BÁLCÃS E PARTIÇÃO DA IUGOSLÁVIA: Tibor Rabóczai, Zeljko Loparic, Aleksandar Jovanovic, João Zanetic (AG)
17h00 GUERRA TENENTISTA E INSURREIÇÃO COMUNISTA NO BRASIL: Marly Gomes Vianna, Paulo Cunha, Yuri Costa, Pedro Pomar (AH)
17h00 GUERRAS DE LIBERTAÇÃO NACIONAL (Vietnã e Indochina, China, Cuba): José R. Mao Jr, Sean Purdy, Antonio Gouvea, Silvia Miskulin (AG)
19h30 GUERRAS DE HOJE, IMPERIALISMO, TERRORISMO: Jorge Altamira, Plínio de Arruda Sampaio Jr, Paulo Arantes, Peter Demant (AH)
19h30 GUERRAS NA AMÉRICA DO SUL NO SÉCULO XIX: Manoel Fernandes Souza Neto, Airton Cavenaghi, Márcio Bobik, Horacio Gutiérrez (AG)

Comissão Organizadora: Osvaldo Coggiola, Vera Ferlini (Cátedra Jaime Cortesão), Maria Cristina Cacciamali (Prolam-USP), Jorge Grespan, Lincoln Secco, Rodrigo Ricupero. Inscrições: Cátedra Jaime Cortesão (30911511), Prolam-USP (30913589).

Inscrições por e-mail: www.fflch.usp.br/dh/guerra. Serão fornecidos certificados de freqüência (30 horas). Entrada Franca.



Participação com certificado de 30 horas: R$10,00 (Comunidade USP)e R$15,00 (Demais). O valor será recolhido no dia do evento.