domingo, 27 de junho de 2010

G20 pede moedas mais flexíveis e mais gasto social a emergentes

AFP | 27/06/2010 12:55

Os países emergentes com superavit deverão assumir reformas destinadas a flexibilizar suas moedas, fortalecer os gastos sociais e em infraestrutura, segundo o texto do comunicado final da reunião de cúpula do G20 (grupo das principais economias avançadas e em desenvolvimento), obtido pela AFP neste domingo.
O anfitrião da cúpula, o primeiro-ministro do Canadá, Stephen Harper, pediu que os países do G20 reduzam seus deficits orçamentários pela metade até 2013 e que a relação entre dívida e PIB (Produto Interno Bruto) comece a cair até 2016.
A crise de deficit e de dívida pública em algumas economias europeias e as medidas de austeridade adotadas por esses países estiveram no centro dos debates em Toronto.
"Comprometemo-nos a realizar ações coordenadas para sustentar um crescimento mais forte e equilibrado", diz o projeto de declaração, que também defende a criação de emprego.
As ações, no entanto, "serão diferentes e ajustadas às circunstâncias nacionais", reconhecem líderes das nações mais industrializadas e emergentes.
A declaração se produz uma semana depois de a China anunciar a intenção de flexibilizar seu regime cambial, tirando o iuane da cotação invariável que mantinha ante o dólar há quase dois anos.
No sábado, o ministro da Fazenda do Brasil, Guido Mantega, havia dito que os países emergentes não devem "carregar nas costas" a retomada do crescimento mundial e que, ao ter pressa em retirar estímulos e implementar políticas de ajuste fiscal, alguns países, como os europeus, colocam em risco a consolidação da recuperação da economia global.
Mantega lidera a delegação brasileira na cúpula, depois que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva cancelou sua participação para acompanhar os esforços de ajuda às vítimas das chuvas no nordeste do Brasil.
Assim como o Brasil, os Estados Unidos e outros países temem que a retirada prematura das medidas de estímulo possa colocar em risco a recuperação global.
Segundo o ministro, o Brasil não teria problema em cumprir metas de reução do deficit, mas países como o Japão, com défictis altos, enfrentariam dificuldades.
A delegação brasileira insistiu, durante a reunião, na importância de que seja aprovado em Toronto um calendário para a aprovação da reforma do sistema financeiro, para que seja levada à cúpula de Seul (nos dias 11 e 12 de novembro).
A reforma financeira vem sendo discutida desde encontros anteriores do G20 e tem o objetivo de tornar o sistema financeiro mais transparente e evitar que se sucedam novas crises econômicas globais como a de 2008.

sábado, 26 de junho de 2010

Gastos com perfume, cabelo e sapato superam de educação

Pessoal,

Vale a pena ler essa noticia. Talvez isso explique um pouco o comportamento que nós profissionais da educação temos enfrentado.

Boa leitura,

Profª Viviane

*****************
Para professor da UnB, expansão da cobertura da rede pública de ensino pode ter contribuído na queda de gasto observada pelo IBGE
Sabrina Lorenzi,
iG Rio de Janeiro 25/06/2010 18:49


A mais nova radiografia do orçamento das famílias, divulgada nesta semana pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revela um brasileiro mais disposto a gastar com salão de beleza, perfumes e sapatos (R$ 74,58) do que com educação. Despesas com mensalidades de colégio, universidade, material escolar e outros cursos somam R$ 64,81, de acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) iniciada em 2008 e concluída em 2009.
“Muitos pais têm tirado seus filhos da escola particular e colocado na rede pública de ensino. Nossa pesquisa mostra que está havendo uma mudança de prioridades”, afirmou ao iG o pesquisador do IBGE Edilson Nascimento, gerente da POF.
A compra de perfumes consome em média 0,8% do orçamento das famílias brasileiras, o mesmo percentual de desembolso com cursos superiores. Já a parcela do orçamento destinada a calçados e apetrechos (1,3%) é o dobro do dispêndio com mensalidades de nível médio e fundamental (0,6%). Os gastos com cabeleireiro e manicure (0,8%) também extrapolam as despesas com outros cursos (0,6%), entre ensino profissionalizante e de idiomas.
O dispêndio com educação recuou de maneira significativa nos últimos seis anos. A POF 2008/2009 mostra que o item responde por 2,5% das despesas das famílias. A pesquisa anterior, realizada entre 2002 e 2003, apontava participação média de 3,4% da educação no orçamento familiar. O professor da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília Remi Castioni observa que a expansão da cobertura da rede pública de ensino pode ter contribuído para explicar por que as famílias estão gastando bem menos com educação.
O aumento da oferta de escolas públicas, contudo, não significa que o ensino gratuito melhorou. Para o professor aposentado Erasto Fortes, porém, o processo de migração das escolas privadas para a rede gratuita vai resultar em avanços na rede pública. “As políticas educacionais têm sido exitosas, mas a qualidade do ensino não muda de uma hora para outra, isso requer investimento. Mas é de se esperar que a ida da classe média para a escola pública force uma melhora no ensino”, avalia.
Os professores afirmam que houve redução de preço nas mensalidades das universidades – um reflexo da maior oferta de ensino privado. Mas, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), serviços e produtos que compõem a inflação da educação, que abrange mensalidades não apenas de universidades mas também de cursos de nível fundamental e médio, ficaram 50% mais caros entre 2003 e 2009. No mesmo período, a inflação média foi de 39%. A redução dos gastos com educação mesmo diante do aumento de preços indica que houve menos consumo de serviços relativos ao aprendizado, uma transformação nas prioridades do brasileiro.
Se por um lado os gastos com estudo diminuem nas despesas domésticas, por outro os anos de escola ditam o tamanho do orçamento. O IBGE apurou que, nos lares onde ao menos uma pessoa chega ao nível superior (seja este completo ou não), o orçamento médio é de R$ 4.296, enquanto nas casas onde não há quem tenha tal escolaridade a cifra é de R$ 1.659. A diferença reflete o acesso à escolaridade por pessoas de maior renda.
Quem compara os indicadores de 2002/2003 com os de 2008/2009 conclui que o dispêndio com perfume aumentou participação de 0,6% para 0,8% nas despesas totais dos brasileiros. A parcela destinada a cabeleireiro aumentou de 0,5% para 0,6%, ao mesmo tempo em que a de calçados subiu de 1,1% para 1,3%. E a participação dos eletrodomésticos passou de 1,8% para 2,3% em seis anos. A conseqüência disso, segundo o pesquisador do IBGE, foi aumento nos gastos com energia elétrica (2,1% para 2,3%).
Por outro lado, as famílias estão gastando menos com recreação, esportes e brinquedos. “É o efeito da substituição, tem coisas que estão virando prioridade em detrimento de outras. Se eu compro um computador e uma televisão moderna com videogame, desloco o divertimento do meu filho e da família para esses novos bens”, explica o gerente da pesquisa.

Terremoto de magnitude 6,9 atinge as Ilhas Salomão, no Pacífico

EFE 26/06/2010 06:12

Um terremoto de magnitude 6,9 na escala Richter atingiu neste sábado as Ilhas Salomão, no oceano Pacífico, e por enquanto ainda não há informações sobre vítimas ou danos materiais.
Apesar da potência do terremoto, o Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico não emitiu aviso de possibilidade ondas gigantes.
O terremoto aconteceu às 02h41 (pelo horário de Brasília), segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos.
O epicentro do abalo, que estava a 35 quilômetros de profundidade, ficou a 40 quilômetros a noroeste da cidade de Kira Kira e a 224 quilômetros a sudeste da capital Honiara.
Cerca de mil pessoas perderam suas casas devido a dois tsunamis e vários desprendimentos de terra provocados por uma série de terremotos que atingiram as ilhas em janeiro.
Em abril de 2007, um terremoto de magnitude 8,1 gerou um tsunami que causou a morte de cerca de 30 pessoas e arrasou boa parte da ilha de Gizo, oeste do país.
As Ilhas Salomão estão sobre o chamado "Anel de Fogo do Pacífico", área de grande atividade sísmica e vulcânica atingida por cerca de 7 mil tremores por ano, a maioria moderados.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

VIAGEM DO CONHECIMENTO

Pessoal,

Gostaria de parabenizar a todos os alunos participantes do III Desafio: Viagem do Conhecimento 2010 pelo seu empenho em realizar a prova.
Nesse ano o colegio conseguiu classificar 6 alunos:

MATHEUS FAHL OLIVEIRA
BIANCA GOMES DA CRUZ
GABRIELA LIMA NOGUEIRA
MAYARA DOS SANTOS ZAMPIERI
JESSICA NADIA QUEIROZ TOLEDO
LUCAS MATHEUS DE SOUZA

O próximo desafio será a prova regional que será realizada no:

COLEGIO NOVA CACHOEIRINHA
Endereço: Rua Madrigais, 172 - Vila Nova Cachoeirinha, São Paulo-SP

No dia 21/08/2010

Preparem-se ainda nesse semestre teremos a distribuição dos certificados de participação para os 10 melhores colocados!
Aguardem!

Bjs
Profª Viviane

quarta-feira, 9 de junho de 2010

2ºOlimpíada de História do Brasil

Regulamento

Regulamento da 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil

1. Dos participantes

1.1.Os participantes da 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil devem se organizar em equipes compostas por três estudantes regularmente matriculados no oitavo e nono anos (antigas sétima e oitava séries) do ensino fundamental ou no ensino médio, orientados por um professor de história. Os estudantes podem ser do ensino regular, ensino profissionalizante ou EJA (Educação de Jovens e Adultos).

O mesmo professor pode orientar mais de uma equipe, mas um aluno não pode participar de mais de uma equipe. Os alunos devem pertencer a mesma escola. Não serão permitidas equipes com alunos de diferentes escolas, ainda que pertencentes à mesma rede de ensino ou à mesma mantenedora.

Não há limite para o número de equipes inscritas por escola.

1.2.A composição das equipes é decidida pelos participantes, desde que obedecendo à composição de um professor e três estudantes. Todos os estudantes podem ser da mesma série (por exemplo, todos os 3 estudantes pertencerem ao segundo ano do ensino médio), dois estudantes podem ser da mesma série e um de outra, ou cada estudante pode pertencer à uma série (por exemplo, um estudante do oitavo ano, um estudante do nono ano e um estudante do terceiro ano do ensino médio). Essa decisão cabe à equipe.

1.3.No caso de impedimento grave, no decorrer da Olimpíada, por parte de qualquer um de seus participantes, poderá ocorrer a substituição de membro da equipe, desde que justificada por meio de documentação enviada para a Organização da Olimpíada.

1.4É proibida a participação na Olimpíada de diretores e funcionários do Museu Exploratório de Ciências e também de seus parentes de primeiro grau. É proibida a participação na Olimpíada de docentes, estudantes e funcionários envolvidos em qualquer um dos aspectos da elaboração do conteúdo da Olimpíada, e também de seus parentes de primeiro grau. É proibida a participação na Olimpíada de escolas cujos docentes, coordenadores, diretores ou funcionários estejam envolvidos em qualquer um dos aspectos da elaboração do conteúdo da Olimpíada.
As equipes devem criar um "nome" para sua equipe. Esse "nome da equipe" a acompanhará em todo o processo e será utilizado em todas as etapas da competição, do início até a premiação, e por isso deve ser escolhido com critério. São proibidos nomes ofensivos ou que indiquem qualquer forma de preconceito racial, de credo ou de origem. A Equipe Organizadora da Olimpíada pode alterar os nomes de equipes que considerar que integram os casos acima, ou a partir de denúncias de outros participantes. A reincidência pode levar à desclassificação da equipe.

2. Das inscrições

2.1 As inscrições para a 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil serão feitas exclusivamente online. Sob nenhuma hipótese as inscrições serão feitas por e-mail, correspondência ou qualquer outra forma de comunicação.

Cada equipe deve preencher todos os dados da ficha de inscrição fornecida. Na ficha, deverão constar obrigatoriamente o nome de cada participante, os dados da escola e uma forma de contato por e-mail e telefone, preferencialmente, do professor responsável pela equipe.

No ato de inscrição, é fornecido o CPF do responsável ou o CNPJ da escola ou instituição jurídica correlata. O boleto será emitido referente a esse CPF ou CNPJ , e será o único recibo de inscrição na Olimpíada. A Equipe Organizadora não emitirá recibos para atestar pagamento de inscrição.

Recomendamos vivamente que a inscrição seja feita pelo professor responsável, ou pelo diretor ou coordenador de ensino da escola, e que os comprovantes de pagamento e os boletos liquidados sejam guardados pelo responsável. Inscrições realizadas por pais ou responsáveis por alunos são fortemente desaconselhadas.

As inscrições só serão validadas após a confirmação de pagamento. Somente o preenchimento e envio da ficha configuram uma inscrição incompleta e, portanto, não válida. A inscrição realizada com sucesso implica preenchimento e envio da ficha e pagamento realizado.

2.2A equipe ao se inscrever receberá um código de inscrição único, escolherá um login e uma senha para acessar e fazer as provas on-line das primeiras 5 fases da Olimpíada. É de inteira responsabilidade dos participantes lembrar o login e a senha escolhidos, bem como o código de inscrição. Apenas os participantes poderão conhecer o login e senha de sua equipe, ficando sujeitos à desclassificação aqueles que compartilharem estas informações com pessoas alheias às suas equipes.

A equipe de apoio do Museu Exploratório de Ciências da Unicamp não possui acesso aos dados de login e código das equipes e está, assim, impossibilitada de recuperar esses dados caso sejam perdidos ou esquecidos. No caso de perda ou esquecimento, será gerado um novo login e uma nova senha, enviados para o e-mail fornecido no ato da inscrição, e os login e senha anteriores ficarão automaticamente invalidados.

2.3No ato da inscrição, o site encaminha o interessado automaticamente para o sistema de pagamento. A opção de pagamento deve ser escolhida e indicada pelo interessado no próprio site. O pagamento pode ser realizado por Boleto Bancário, Transferência Online, Cartão de Crédito e Cartão de Débito.

As taxas de inscrição são:
Escolas públicas
R$ 15,00 (quinze reais) por equipe
Escolas particulares
R$ 35,00 (trinta e cinco reais) por equipe

Os valores referem-se à inscrição de toda a equipe. Não é cobrada taxa individual por participante. Se a escola inscrever várias equipes, deverá pagar a taxa de inscrição para cada uma delas.

Não se aplicam descontos nem isenções às taxas.

Em hipótese alguma serão devolvidos os valores referentes às taxas de inscrição.

Lembre-se: A inscrição somente será finalizada com sucesso após o pagamento da inscrição nas formas de pagamento acima mencionadas.

3. Das fases da Olimpíada

3.1As fases online serão acessadas e feitas através da página da Olimpíada, mediante fornecimento pelo participante de seu login e senha.

Todas as respostas e tarefas solicitadas pela Olimpíada devem ser realizadas na página da Olimpíada. Todo o envio de tarefas deve ser realizado em local indicado na página da Olimpíada. Sob nenhuma hipótese serão aceitas tarefas enviadas por e-mail, correio ou outros meios de comunicação.

3.2.A Olimpíada é constituída por 5 fases online e uma fase final presencial, que se realizará no campus da UNICAMP em Campinas, SP.

Cada fase é composta por questões de múltipla escolha e por tarefas. Dentre as alternativas de múltipla escolha, os participantes deverão selecionar apenas uma, ou seja, aquela que acharem mais pertinente como resposta.

Cada questão pode ser assinalada como "rascunho", permitindo as equipes a reflexão antes do envio definitivo. No entanto, sob hipótese alguma, respostas deixadas na forma de "rascunhos" serão utilizadas no cálculo geral dos pontos.

Cada fase que estiver online possuirá uma versão que pode ser impressa, para facilitar o trabalho das equipes.

A fase 1 terá 10 questões de múltipla escolha, inclusa uma tarefa.

A fase 2 terá 10 questões de múltipla escolha, inclusa uma tarefa.

A fase 3 terá 20 questões de múltipla escolha, inclusa uma tarefa.

A fase 4 terá 20 questões de múltipla escolha, inclusa uma tarefa.

A fase 5 é uma tarefa.

A fase 6 é presencial, constituída por questões e desafios diversos, e seguida de premiação.

3.3.A página da Olimpíada fornecerá documentos, textos, links e sugestões de leitura para auxiliar na resolução das questões. As equipes podem e devem consultar outros materiais e fontes de informação para embasar as suas respostas.

A cada fase finalizada, a equipe organizadora publicará comentários relativos às questões e tarefas.

O gabarito oficial será publicado somente após o final de todas as fases online da Olimpíada. Ao retornar à sua área, após cada fase, cada equipe terá acesso tão somente à alternativa que selecionou, e não ao resultado oficial.

Cada fase online tem a duração exata de 6 dias. Para a 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil, as fases serão iniciadas às quintas-feiras e finalizadas às quartas-feiras da semana seguinte. Para mais detalhes, veja a linha do tempo no site.

3.3 A experiência de cada participante pode variar conforme a velocidade de conexão e o equipamento utilizado.

Os organizadores responsabilizam-se apenas pelo funcionamento do site da Olimpíada. Os organizadores não se responsabilizam por falhas no provedor de acesso dos participantes ou por falhas em seus equipamentos.

Em caso de falha grave no sistema da Unicamp ou falha ampla do sistema no país, a organização da Olimpíada poderá prorrogar o prazo das fases, em separado ou na totalidade, a seu critério. Falhas pontuais e ou locais dos sistemas não serão levadas em consideração.

Não existe nenhuma possibilidade, fora a expressa acima, de enviar respostas fora do prazo determinado no calendário. A organização da Olimpíada recomenda vivamente que as equipes não deixem o envio de suas respostas e tarefa para a "última hora".

Uma vez fechada a fase, não serão aceitas respostas.

4. Da classificação dos participantes

4.1A seleção das equipes classificadas para a etapa seguinte será feita por meio de pontuação baseada no desempenho da equipe até aquele momento (resposta às questões de múltipla escolha e tarefas).

Na primeira fase, serão aprovados no mínimo 90% dos participantes.

Na segunda fase, serão aprovados no mínimo 70% dos participantes.

Na terceira fase, serão aprovados no mínimo 70% dos participantes.

Na quarta fase, serão aprovados no mínimo 70% dos participantes.

Na quinta fase, as equipes realizarão uma tarefa. A não realização dessa tarefa implicará na desclassificação da equipe.
Para todas as fases, a organização da Olimpíada reserva-se o direito de alterar a quantidade de participantes que passará à próxima fase, sempre respeitando os critérios de pontuação e garantindo os percentuais mínimos expressos acima.

Os pontos totais, incluindo o desempenho nas questões e a pontuação das tarefas, serão computados e utilizados para selecionar as equipes classificadas para a fase final presencial.

4.2Para a fase final presencial serão classificadas no máximo 300 equipes. O número final poderá ser menor, mas não maior que 300 equipes. Em caso de empate de pontos, a organização da Olimpíada aplicará os seguintes critérios de desempate: maior pontuação na fase 5; em seguida, maior pontuação nas tarefas assinaladas; em seguida; menor número de questões deixadas sem resposta; por fim, tratar-se de escola pública.

A organização da Olimpíada custeará integralmente a vinda para a fase final presencial da equipe de escola pública com maior pontuação final de cada região do Brasil (sendo as regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste). Essas equipes serão selecionadas pelo critério do mérito, exclusivamente pela pontuação obtida nas cinco fases online.

As demais equipes, de escola pública e particular, deverão buscar, a seu critério, meios próprios para participar da fase final presencial.

A organização da Olimpíada envidará seus esforços para custear a vinda de quantas equipes for possível, por meio de patrocínios ou outras fontes de recursos, sempre pelo critério do mérito (pontuação obtida), procurando valorizar a participação de todos os estados do país.

4.3Ficam os participantes da fase final alertados de que deverão providenciar uma série de documentos relativos à viagem para Campinas e à participação na Fase Presencial.

Esses documentos incluem autorização para viagem de menores assinada por pais e/ou responsáveis, permissão essa que será utilizada pelos próprios estudantes para seu deslocamento em território nacional. Incluem também permissão concedida ao Museu Exploratório de Ciências para o uso da imagem de todos os membros da equipe, incluindo o professor. Outros documentos pertinentes podem vir a ser requisitados pela Organização da Olimpíada no momento da convocação dos selecionados para a Fase Presencial.

5. Da premiação

5.1A Olimpíada Nacional em História do Brasil premiará alunos, professores e escolas participantes, baseando-se no resultado ponderado do desempenho das equipes nas fases online e nas provas da fase final presencial.
As fases têm pesos diferentes e a cada uma é atribuída uma pontuação. A pontuação máxima possível em cada fase é distinta, e cada fase vale um pouco mais do que a soma das fases anteriores, conforme segue:

F1-50; F2-100; F3-200; F4-400; F5-400; F6-1200

5.2A divulgação da lista dos premiados é de responsabilidade da organização da Olimpíada Nacional em História do Brasil e se dará, segundo o calendário oficial no site www.mc.unicamp.br

A organização da Olimpíada reserva-se o direito de publicar ou não a classificação geral das equipes. Não estão entre os objetivos da Olimpíada gerar um ranking nacional de escolas ou participantes nem chegar a um suposto "primeiro colocado". Dentre os objetivos primordiais da Olimpíada estão estimular a convivência entre estudantes e professores, a prática de procedimentos científicos na solução de problemas, o incentivo ao estudo diligente e a interação entre os participantes.

5.3As equipes eliminadas nas fases anteriores receberão certificados online atestando a sua participação até o momento em que ela ocorreu.

A premiação consiste em medalhas de ouro, prata e bronze para os estudantes e professores participantes.

Todos receberão certificado. Os certificados serão emitidos com base nos dados fornecidos no ato de inscrição. Dados incorretos não serão corrigidos e não haverá nova emissão de certificado, salvo no caso previsto no item 1.3 desse Regulamento, desde que informado com a antecedência necessária.

Durante a grande final presencial, os estudantes participarão de atividades de interação organizadas pelo Museu Exploratório de Ciências – Unicamp. Os professores de história participarão de uma oficina de trabalho para docentes, durante a realização pelos alunos da Prova Presencial.

As bibliotecas das escolas das equipes colocadas nos primeiros lugares receberão doações para seus acervos, incluindo uma assinatura da Revista de História da Biblioteca Nacional, de duração de um ano.

A organização do evento se reserva o direito de alterar ou acrescentar prêmios, segundo seu critério e de acordo com a disponibilidade de recursos.

6. Contato com a organização

6.1Organização se comunicando com os participantes: todas as informações relativas às Olimpíadas serão divulgadas única e exclusivamente de duas maneiras:

a1)No site do Museu Exploratório de Ciências – Unicamp (www.mc.unicamp.br)

b2)Por meio de e-mail oficial (olimpiadadehistoria@gmail.com) enviado ao e-mail oficial de cada equipe participante.
As orientações divulgadas pelos dois meios acima serão consideradas parte integrante desse regulamento.

A Organização da 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil não se responsabiliza por informações divulgadas em seu nome em blogs, páginas de internet ou outros meios de comunicação.

6.2.Participantes se comunicando com a organização: Todas as dúvidas e sugestões devem ser enviadas por e-mail, selecionando-se o assunto desejado.

Não telefone para o Museu: não haverá respostas a dúvidas ou qualquer outro contato via telefônica entre os participantes e a organização da Olimpíada. Os funcionários do Museu não estão autorizados a responder questões relativas a Olimpíada por telefone, mas apenas por e-mail, ficando assim registradas todas as comunicações estabelecidas.

7. Calendário oficial

01 de junho a 06 de agosto
inscrições e pagamento dos boletos
19 de agosto a 25 de agosto
primeira fase
26 de agosto a 01 de setembro
segunda fase
02 de setembro a 08 de setembro
terceira fase
09 de setembro a 15 de setembro
quarta fase
16 de setembro a 22 de setembro
quinta fase
27 de setembro
Divulgação do nome das equipes selecionadas para a fase final presencial. Divulgação do nome das cinco equipes de escola pública cuja vinda para a fase final será financiada pelos organizadores.
05 de outubro
Prazo final para a confirmação online de interesse de todas as equipes convocadas em participarem da grande final presencial.
No caso da não-confirmação de interesse, as equipes seguintes na pontuação serão convocadas.
23 e 24 outubro
Grande Final presencial
23 de outubro
Prova
24 de outubro
Cerimônia de Premiação
A Organização da 2ª Olimpíada Nacional em História do Brasil se reserva o direito de alterar as datas das provas em caso de imprevistos de força maior, que fujam da alçada de controle do Museu Exploratório de Ciências – Unicamp.

Sugestões da Organização

a) Forme sua equipe

A equipe deverá ter 3 participantes, orientados por um professor de história. Dica: Cada membro da equipe é único e possui características e qualidades diferentes. Saiba reunir o melhor de cada participante. Descubra talentos!

Não esqueça que o professor faz parte do grupo para auxiliá-lo durante o processo de participação na Olimpíada, questionando, ajudando a equipe a ler, a encontrar materiais subsidiários, a estudar e a conhecer seus pontos fortes e fracos. O professor, assim, não substitui a equipe. Seu papel é o de um orientador.

b) Dê uma identidade à sua equipe

Cada equipe escolhe seu nome e pode associar uma imagem a si, no blog da página da Olimpíada e essa imagem ficará visível para todos os outros participantes. Não utilize imagens ofensivas ou imagens de conteúdo pornográfico ou violento.

Escolha com carinho o nome da equipe: pense em um nome que expressa o grupo e suas idéias e que vocês gostariam que fosse chamado ao microfone na cerimônia final de premiação. Muita atenção: nomes de equipe ofensivos ou que incitem a preconceito de qualquer espécie serão vetados a critério da Equipe Organizadora. A equipe que insistir em utilizar tais conteúdos poderá vir a ser desclassificada.

c) Marque encontros regulares com sua equipe

Durante os encontros, sua equipe deve distribuir tarefas, trocar idéias, escolher as alternativas a serem selecionadas em resposta às questões e realizar as tarefas. Já no primeiro encontro, estipule um calendário com todas as próximas reuniões da equipe. Uma boa sugestão é realizar as reuniões num horário que todos tenham livre, como antes ou ao final do horário escolar. Ainda, o professor pode decidir utilizar o próprio horário de sua aula, envolvendo os demais estudantes na resolução dos problemas.

O calendário de fases da 2ª Olimpíada permite que a equipe se encontre no fim-de-semana e que ainda tenha o início da semana para enviar as suas respostas, utilizando, se necessário, os recursos de informática de sua escola.

Procure fazer reuniões longas para que cada encontro seja bastante produtivo, pois quando os amigos se encontram, há muito papo para colocar em dia.

d) Selecione um responsável para passar as respostas na página da Olimpíada

Oferecemos a possibilidade de as perguntas serem impressas, caso haja dificuldade em estar o tempo todo em um computador conectado à internet. Isso visa facilitar o trabalho das equipes. Mas, não esqueça! As respostas só podem ser enviadas via internet, e no prazo estabelecido.

O login e a senha devem ser de conhecimento da equipe. Se um membro da equipe esqueceu o login e a senha, deve contatar primeiro os colegas. Só em último caso deve pedir o envio de login e senha por e-mail: cada vez que essa requisição é feita, o sistema gera automaticamente um novo login e uma nova senha e os anteriores ficam invalidados. Isso pode impedir os colegas de acessarem a mesma página e, até mesmo, prejudicar irrecuperavelmente o envio das respostas e o desempenho da equipe.

Lembre-se também que as respostas podem ser salvas em nosso site antes de serem enviadas. Assim, a equipe pode ter um grande "rascunho", antes de decidir e enviar as suas respostas finais. Porém, respostas em forma de "rascunho" não serão consideradas para o cálculo dos pontos. As respostas de cada fase, bem como a tarefa de cada fase, devem ser enviadas exclusivamente pela internet. Isso pode ser feito com a presença de todos os participantes, ou por apenas um participante que pode, inclusive, ser o professor.

Não importa muito quem envia as respostas, mas que elas tenham sido decididas coletivamente e após bastante reflexão.

e) Não deixe para a última hora

Não deixe para enviar as suas respostas na última hora do último dia daquela fase. Imprevistos acontecem. Uma falha no sistema ou alguma dificuldade inesperada podem impedi-los de fazer o envio e, assim, prejudicar a sua equipe de forma irrecuperável.

Utilizaremos como hora-padrão o horário de Brasília.

f) Entre em contato com outras equipes

Em nosso site, você vai poder conhecer e se comunicar com as demais equipes de todo o Brasil; estudantes de todo o país podem se conhecer, e professores podem trocar experiências com seus colegas. Aproveite para fazer novos amigos!

g) Participe ativamente

O importante nessa Olimpíada é participar. Estude com atenção as questões, prepare bem as tarefas e explore as sugestões de leitura. Não deixe de enviar suas críticas e sugestões: elas serão lidas e analisadas com interesse!


Parte superior do formulário


domingo, 6 de junho de 2010

Skank - Coca Cola Copa do Mundo 2010



Versão em português: Skank

Musica Tema da Copa do Mundo 2010

História das Copas

História das Copas do Mundo

De quatro em quatro anos, seleções de futebol de diversos países do mundo se reúnem para disputar a Copa do Mundo de Futebol.
A competição foi criada pelo francês Jules Rimet, em 1928, após ter assumido o comando da instituição mais importante do futebol mundial: a FIFA ( Federation International Football Association).
A primeira edição da Copa do Mundo foi realizada no Uruguai em 1930. Contou com a participação de apenas 16 seleções, que foram convidadas pela FIFA, sem disputa de eliminatórias, como acontece atualmente. A seleção uruguaia sagrou-se campeã e pôde ficar, por quatro anos, com a taça Jules Rimet.
Nas duas copas seguintes (1934 e 1938) a Itália ficou com o título. Porém, entre os anos de 1942 e 1946, a competição foi suspensa em função da eclosão da Segunda Guerra Mundial.
Em 1950, o Brasil foi escolhido para sediar a Copa do Mundo. Os brasileiros ficaram entusiasmados e confiantes no título. Com uma ótima equipe, o Brasil chegou à final contra o Uruguai. A final, realizada no recém construído Maracanã (Rio de Janeiro - RJ) teve a presença de aproximadamente 200 mil espectadores. Um simples empate daria o título ao Brasil, porém a celeste olímpica uruguaia conseguiu o que parecia impossível: venceu o Brasil por 2 a 1 e tornou-se campeã. O Maracanã se calou e o choro tomou conta do país do futebol.
O Brasil sentiria o gosto de erguer a taça pela primeira vez em 1958, na copa disputada na Suécia. Neste ano, apareceu para o mundo, jogando pela seleção brasileira, aquele que seria considerado o melhor jogador de futebol de todos os tempos: Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.
Quatro anos após a conquista na Suécia, o Brasil voltou a provar o gostinho do título. Em 1962, no Chile, a seleção brasileira conquistou pela segunda vez a taça.
Em 1970, no México, com uma equipe formada por excelentes jogadores ( Pelé, Tostão, Rivelino, Carlos Alberto Torres entre outros), o Brasil tornou-se pela terceira vez campeão do mundo ao vencer a Itália por 4 a 1. Ao tornar-se tricampeão, o Brasil ganhou o direito de ficar em definitivo com a posse da taça Jules Rimet.
Após o título de 1970, o Brasil entrou num jejum de 24 anos sem título. A conquista voltou a ocorrer em 1994, na Copa do Mundo dos Estados Unidos. Liderada pelo artilheiro Romário, nossa seleção venceu a Itália numa emocionante disputa por pênaltis. Quatro anos depois, o Brasil chegaria novamente a final, porém perderia o título para o pais anfitrião: a França.
Em 2002, na Copa do Mundo do Japão / Coréia do Sul, liderada pelo goleador Ronaldo, o Brasil sagrou-se pentacampeão ao derrotar a seleção da Alemanha por 2 a 0.
Em 2006, foi realizada a Copa do Mundo da Alemanha. A competição retornou para os gramados da Europa. O evento foi muito disputado e repleto de emoções, como sempre foi. A Itália sagrou-se campeã ao derrotar, na final, a França pelo placar de 5 a 3 nos pênaltis. No tempo normal, o jogo terminou empatado em 1 a 1.
Em 2010, pela primeira vez na história, a Copa do Mundo será realizada no continente africano. A África do Sul será a sede do evento.
Em 2014, a Copa do Mundo será realizada no Brasil. O evento retornará ao território brasileiro após 64 anos, pois foi em 1950 que ocorreu a última copa no Brasil.

Curiosidades sobre a História da Copa do Mundo de Futebol

- O recorde de gols em Copas é do francês Fontaine com 13 gols;

- O Brasil é o único país que participou de todas as Copas do Mundo;

- O Brasil é o país com mais títulos conquistados: total de cinco;

- A Itália foi quatro vezes campeã mundial. A Alemanha foi três vezes, seguida das bi-campeãs Argentina e Uruguai. Inglaterra e França possuem apenas um título cada;

- A Copa do Mundo é o segundo maior evento esportivo do planeta;

- As Copas do Mundo da França (1998) e Japão / Coréia do Sul (2002) foram as únicas que tiveram a participação de 32 seleções. A Copa do Mundo da Alemanha 2006 teve o mesmo número de seleções participantes.

Os campeões de todos os tempos

Uruguai (1930) / Itália (1934) / Itália (1938) / Uruguai (1950) / Alemanha (1954) / Brasil (1958) / Brasil ( 1962) / Inglaterra ( 1966) / Brasil (1970) / Alemanha (1974) / Argentina (1978) / Itália (1982) / Argentina (1986) / Alemanha (1990) / Brasil (1994) / França (1998) / Brasil (2002), Itália (2006).

Sugestões de leitura:

- Os 50 Maiores Jogos das Copas do Mundo - Paulo Vinicius Coelho, Panda Books

- Moderno Almanaque das Copas do Mundo - Gláucia Parreira, Yendis

- Copas do Mundo: Histórias e Estatísticas - Luiz Fernando Baggio Monclar, Axcell Books

- Brasil em Copas do Mundo - Barbosa Filho, Panoramas do Saber.




Final da copa no Uruguai: