sábado, 27 de fevereiro de 2010

Efeitos do terremoto Chileno sentidos na Praia Grande, no litoral paulista

Por Elisabete de Lima para o Ig

Senti fortemente os efeitos do terremoto que aconteceu no Chile, neste madrugada, aqui onde moro, em Praia Grande, no bairro Vila Tupy, São Paulo.
Por volta de 3h45 desta madrugada, acordei para ir ao banheiro. Tudo começou a balançar para lá e para cá e, me segurei na pia, pois, na verdade, não tinha a menor idéia do que poderia ser aquilo. De repente, a porta do meu quarto (que estava aberta) batia da mesma forma. Não foi nada agressivo, violento, foi até que suave.
Pedi a Deus misericórdia e questionava: "Senhor o que está acontecendo?" Pensei até que poderia estar passando mal, sei lá, uma tontura, alguma coisa na cabeça, uma labirintite, porém, aquilo era um fato!
Alguns segundos depois, levantei-me e fui, receosa, até a sacada para ver como estava o comportamento do mar e dos demais prédios da cidade, uma vez que resido no 17º andar, e tenho uma vista panorâmica e linda, do mar e da cidade. Mas, antes que eu terminasse de abrir a porta da sala, aquele "balanço" começou novamente e o meu corpo se projetava suavemente para frente e para trás. Segurei-me na porta e, assim que passou - foi rápido -, fui me segurando até o interforne e liguei para a portaria a fim de tentar descobrir o que estava acontecendo e, se mais alguém havia procurado por eles. Disseram que até aquele momento não, ninguém havia ligado ou procurado por eles. Todavia, ouvi um dos porteiros exclamar: "Meu Deus, será que está acontecendo algum terremoto?".
Como as guaritas são construídas, geralmente, fora do prédio, eles não têm como sentir nada. Agradeci e pedi que se mais alguém dissesse alguma coisa eu gostaria de saber e desliguei. Foi ai que liguei minha TV e me deparei com a notícia: Terremoto de 8.8 na escala Richter atinge Chile!
É claro que com o movimento das placas tectônicas, a fundação dos prédios, penso que de grande parte do Litoral Paulista, sofreu esta sensação e, os moradores dos andares mais altos só não sentiram, pois estavam dormindo, uma vez que era madrugada, chovia e a temperatura estava bem amena.
"Santo Deus!" Pedi a Deus por eles, arrumei algumas coisas em uma mochila e fiquei pronta para qualquer ordem de se evacuar o prédio!
Como ouvi que os Bombeiros registraram ocorrências em São Paulo, é importante relatar que por aqui, também fomos "chacoalhados", ainda que suavemente

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não será permitido comentários ofensivos.