sábado, 31 de outubro de 2009

Halloween

A palavra Halloween tem origem na Igreja católica, sua tradição vem através dos anos a comemoração do dia 1 de novembro - O dia de Todos os Santos - . Mas, no século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro. O feriado era Samhain, o Ano novo céltico. Alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas - nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia).
Na Europa, o Halloween marca o fim oficial do verão e o início do ano-novo. Celebra também o final da terceira e última colheita do ano, o início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e a renovação de suas leis. Era uma festa com vários nomes: Samhain (fim de verão), Samhein, La Samon, ou ainda, Festa do Sol. Mas o que ficou mesmo foi o escocês Hallowe'en.
Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte. Os celtas acreditaram em todas as leis de espaço e tempo, o que permitia que o mundo dos espíritos se misturassem com o dos vivos.
Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam as tochas e fogueiras de suas casa, para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir.
Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram.
O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passa ser conhecido como o Dia das Bruxas.
A lenda de Jack O´Lantern
A vela na abóbora provavelmente tem sua origem no folclore irlandês. Um homem chamado Jack, um alcoólatra grosseiro, em um 31 de outubro bebeu excessivamente e o diabo veio levar sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede. Jack estava sem dinheiro para o último trago e pede ao Diabo que se transforme em uma moeda. O Diabo concorda. Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz. Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro. Sem opção, o Diabo concorda. Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade. No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o Diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça. O diabo aceita e Jack o liberta da árvore.
Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre. Tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno. O diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada. Mas, com pena da alma perdida, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando. Os nabos na Irlanda eram usados como seu "lanternas do Jack" originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então Jack O'Lantern (Jack da Lanterna). na América passa a ser uma abóbora, iluminada com uma brasa.
Sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O'Lantern (Jack da Lanterna). Quem presta atenção vê uma luzinha fraca na noite de 31 de outubro. É Jack, procurando um lugar.

As Bruxas
As bruxas têm papel importantíssimo no Halloween. Não é à toa que ela é conhecida como "Dia das Bruxas" em português. Segundo várias lendas, as bruxas se reuniam duas vezes por ano, durante a mudança das estações: no dia 30 de abril e no dia 31 de outubro. Chegando em vassouras voadoras, as bruxas participavam de uma festa chefiada pelo próprio Diabo. Elas jogavam maldições e feitiços em qualquer pessoa, transformavam-se em várias coisas e causavam todo tipo de transtorno.
Diz-se também que para encontrar uma bruxa era preciso colocar suas roupas do avesso e andar de costas durante a noite de Halloween. Então, à meia-noite, você veria uma bruxa!
A crença em bruxas chegou aos Estados Unidos com os primeiros colonizadores. Lá, elas se espalharam e misturaram-se com as histórias de bruxas contadas pelos índios norte-americanos e, mais tarde, com as crenças na magia negra trazidas pelos escravos africanos.
O gato preto é constantemente associado às bruxas. Lendas dizem que bruxas podem transformar-se em gatos. Algumas pessoas acreditavam que os gatos eram os espíritos dos mortos. Muitas superstições estão associadas aos gatos pretos. Uma das mais conhecidas é a de que se um gato preto cruzar seu caminho, você deve voltar pelo caminho de onde veio, pois se não o fizer, é azar na certa.

Halloween pelo mundo

A festa de Halloween, na verdade, equivale ao Dia de Todos os Santos e o Dia de Finados, como foi absorvido pela Igreja Católica para apagar os vínculos pagãos, origem da festa. Os países de origem hispânica comemoram o Dia dos Mortos e não o Halloween. No Oriente, a tradição é ligada às crenças populares de cada país.

Espanha
Como no Brasil, comemora-se o Dia de Todos os Santos em 1º de novembro e Finados no dia seguinte. As pessoas usam as datas para relembrar os mortos, decorando túmulos e lápides de pessoas que já faleceram.

Irlanda
A Irlanda é considerada como o país de origem do Halloween. Nas áreas rurais, as pessoas acedem fogueiras, como os celtas faziam nas origens da festa e as crianças passeiam pelas ruas dizendo o famoso “tricks or treats” (doces ou travessuras).

México
No dia 1º comemora-se o Dia dos Anjinhos, ou Dia dos Santos Inocentes, quando as crianças mortas antes do batismo são relembradas.
O Dia dos Mortos (El Dia de los Muertos), 2 de novembro, é bastante comemorado no México. As pessoas oferecem aos mortos aquilo que eles mais gostavam: pratos, bebidas, flores. Na véspera de Finados, família e amigos enfeitam os túmulos dos cemitérios e as pessoas comem, bebem e conversam, esperando a chegada dos mortos na madrugada.
Uma tradição bem popular são as caveiras doces, feitas com chocolate, marzipã e açúcar.

Alguns significados simbólicos

- a abóbora: simboliza a fertilidade e a sabedoria
- a vela: indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.
- o caldeirão: fazia parte da cultura - como mandaria a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos.
- a vassoura: simboliza o poder feminino que pode efetuar a limpeza da eletricidade negativa.
- as moedas: devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.
- os bilhetes com os pedidos, devem ser incinerados para que os pedidos sejam mais rapidamente atendidos, pois se elevarão através da fumaça.
- a aranha - simboliza o destino e o fio que tecem suas teias, o meio, o suporte para seguir em frente.
- o morcego - simbolizam a clarividência, pois que vêem além das formas e das aparências, sem necessidades da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade.
- o sapo - está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.
- gato preto - símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Unirverso

Cores:

Laranja - cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja.

Preto - cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. Cor do mestre.

Roxo - cor da magia ritualística.

Fontes:

Guia dos curiosos http://www.guiadoscuriosos.com.br/
http://ilove.terra.com.br/lili/palavrasesentimentos/halloween_historia.asp

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

EVENTO: “MEMÓRIAS INSUBMISSAS: Mulheres, Ditaduras militares, Anistia”

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS
INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS
EVENTO: “MEMÓRIAS INSUBMISSAS: Mulheres, Ditaduras militares, Anistia”

Data: dia 29/10/09 – manhã e tarde
Local: Auditório II – IFCH

PROGRAMAÇÃO

10.00hs - Abertura –- Dra. Margareth Rago (UNICAMP) e Dra. Nádia Farage (Diretora do IFCH/UNICAMP)
10.30 - 12.00 - Mesa 1 –– Coord: Ana Carolina de T. Murgel (doutoranda/UNICAMP)
Maria Amélia de Almeida Teles (União de Mulheres de São Paulo) – “30 anos de anistia, 30 anos de busca da verdade e da justiça”
Dra. Rachel Soihet (UFF) - “Cisões, Alianças e Sucessos dos Feminismos no Rio de Janeiro. Anos 1970-1980”
Dra. Graciela Sapriza (Universidad de La Republica - Uruguai) - “Narrar después: memoria de mujeres sobre la violencia política en Uruguay, 1970-1985".
14hs – Exposição virtual do Arquivo Edgard Leuenroth (AEL/UNICAMP) - “A Luta pela Anistia - 30 anos”
14.30 -16.00 - Mesa 2 - Coord.: Rosa Maria Giatti (doutoranda/ UNICAMP)
Criméia Alice Schmidt de Almeida Grabois (União de Mulheres de São Paulo) – “Anistia, passado e presente”
Dra. Rosalina de Santa Cruz Leite (PUC/SP) – “Memórias da dor, memórias da violência”
Dra. Margareth Rago (UNICAMP) – “As mulheres e a coragem da verdade”
16.30 -18.00 - Mesa 3 - Coord. Luana S. Tvardovskas (doutoranda/UNICAMP)
Dra. Yolanda (Danda) Prado (Editora Brasiliense) – “Da imprevisibilidade”
Dra. Maria Lygia Quartim (UNICAMP) - “O feminismo político do século XXI”
Dra. Susel Oliveira da Rosa (UNICAMP) - “Devir-nômade feminista”


PROMOÇÃO
Programa de Pós Graduação em História – IFCH/ UNCAMP
Organização: Profa. Dra. Margareth Rago
Apoio Técnico: Secretaria de Eventos do IFCH
Arquivo Edgard Leuenroth da UNICAMP
Núcleo de Estudos Estratégicos (NEE) da UNICAMP

História da população negra no Brasil

História da população negra no Brasil*

Com Carlos Eduardo Machado**

Local: Jardim Miriam Arte Clube – JAMAC, Rua Maria Balades Correa, 08, Jardim Miriam, São Paulo.
Data: 31 de outubro de 2009 (sábado)
Horário: a partir das 17hs


*A palestra de história da população negra no Brasil, que volta a ser maioria oficial no país desde o final de 2008, tem por objetivo central a reflexão do legado dos africanos para o Brasil desde o século 16, sua inserção social e civilizacional nos marcos temporais: colônia, monarquia e república. Traça-se um panorama sobre o papel da mídia e do cinema na construção do imaginário sobre a população africana-brasileira.

**Carlos Eduardo Dias Machado é graduado, licenciado e mestrando em História Social pela Universidade de São Paulo - USP e alumni do Programa Internacional de Bolsas de Pós-Graduação da Fundação Ford (International Fellowships Program - IFP). Ativista do movimento negro desde 1988 é autor de livros e artigos.




--
Lili Souza

“... Aprendemos que todos os povos da terra são parentes, só a cor da pele difere. O ser humano é um só – somos todos criação da terra, de um só coração, um só povo.”
D. Kapenawa Yanomami

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

I Seminário Latino-americano de Povos Indígenas e Direitos Humanos da USP – 9 e 10 de novembro (EACH)

O I Seminário Latino-americano de Povos Indígenas e Direitos Humanos da USP acontece nos dias 9 e 10 de novembro na Escola de Artes Ciências e Humanidades no campus da zona leste da capital.
O objetivo da evento é ampliar os debates sobre Direitos Indígenas no continente. No evento, serão analisados os modelos de políticas multiculturais, os Estados Plurinacionais, a nova normatividade internacional, bem como o desenvolvimento dos movimentos indígenas na América Latina.
Entre os participantes, há personalidades que têm se destacado na construção e na análise teórica da cidadania indígena, como: Dalmo de Abreu Dallari, professor emérito da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, onde também foi Diretor, ex-professor catedrático e vice-coordenador na UNESCO da cadeira de Educação para a Paz, Direitos Humanos e Democracia e Tolerância; Rodolfo Stavenhagen, sociólogo mexicano, professor emérito e pesquisador de El Colegio de México, em 2001 foi nomeado o primeiro Relator Especial para os Direitos Humanos dos Povos Indígenas pela ONU onde ficou até 2007 e Luis Tapia Mealla, coordenador do doutorado em Ciências do Desenvolvimento, no Programa de pós-graduação em Ciências de Desenvolvimento da Universidad Mayor de San Andrés, La Paz (Bolívia), programa realizado em colaboração internacional com a UNAM. Nos últimos anos tem se dedicado na interpretação da sociedade boliviana à luz da presença indígena no governo.
O I Seminário Latino-americano de Povos Indígenas e Direitos Humanos da USP forma parte das atividades da Pró-reitoria de Cultura e Extensão Universitária. A iniciativa foi desenvolvida pelo Observatório Interdisciplinar de Políticas Públicas em parceria com a Associação Nacional de Direitos Humanos (ANDHEP) . Participam também da organização do evento um grupo de pesquisadores da Universidade Autônoma do México e da Universidade Pedagógica Nacional, ambas no México, e do Centro de Investigación Bartolomé de las Casas, no Peru e do e o Programa-de Pós Graduação em Integração da América Latina (PROLAM)
O evento é aberto para a participação do público em geral. Os interessados em receber certificado deverão realizar sua inscrição no site: http://direitos-indigenas.wikidot.com/,
e ter presença em todas as atividades.
I Seminário Latino-americano de Povos Indígenas e Direitos Humanos da USP.
Dias 9 e 10 de novembro de 2009 das 14h30 às 22h.
Escola de Artes Ciências e Humanidades da USP
Rua Arlindo Béttio, 1000 - Ermelino Matarazzo. Acesso da passarela da estação de trem USP Leste, linha F (Brás - Calmon Viana).

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Feira do Conhecimento


O CBEI todos os anos apresenta a Feira do Conhecimento que tem por objetivo desenvolver as competências e habilidades do aluno em determinado tema.
Este ano o colégio optou por trabalhar com as decadas de 50,60,70,80,90 e 2000 e cada professor desenvolveu o seu tema.

O tema orientado por mim foi "As transformações da sociedade contemporânea: um olhar através dos comerciais para tv". Nosso objetivo era mostrar a todos os presentes como a nossa sociedade evoluiu nesse periodo e o maior reflexo se deu nos comerciais feitos para a TV.



Durante as apresentações foram apresentados comerciais que marcaram época como a dos Cobertores Parahyba, Café Seleto entre outros.

Ao longo da semana vou colocando os temas das outras salas.
Espero que vocês gostem!
Beijos
Profª Viviane







Vida e obra dos filósofos

Queridos alunos,

Para ajudar na pesquisa segue alguns links que valem a leitura, mas lembre-se leia e coloque aquilo que você entendeu. Ctrl c Ctrl v não vale!
http://www.mundodosfilosofos.com.br/socrates.htm
http://www.pensador.info/p/a_vida_do_filosofo_aristoteles_vida_e_obra/1/
http://www.mundodosfilosofos.com.br/platao.htm
http://www.mundodosfilosofos.com.br/aristoteles.htm

Muro de Berlim: o boom do turismo 20 anos após a queda

Há duas décadas o Muro de Berlim se esfacelava. Com ele, ruía também a divisão entre as duas Alemanhas, saldo nefasto da Segunda Guerra. Hoje, o antigo setor oriental da cidade é visitado por milhares de turistas. De certa forma, o momunismo entrou na "moda". Confira reportagem publicada na revista Viagem&Turismo de outubro.
Fonte: http://www.viagemdoconhecimento.com.br/novidades/historia/muro-de-berlim-o-boom-do-turismo-20-anos-apos-a-queda.php
Site: http://viajeaqui.abril.com.br/vt/materias/vt_materia_500552.shtml

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Conheça os finalistas do Desafio National Geographic 2009

O Comitê Gestor informa abaixo a relação dos 20 estudantes finalistas do Desafio National Geographic 2009. Além dos alunos, também participarão da fase final do concurso, que irá se realizar entre os dias 12 e 15 de novembro, um acompanhante (que pode ser o pai, a mãe ou outra pessoa indicada pela família) e o professor responsável pelo desenvolvimento das atividades referentes ao Desafio na escola onde o aluno estuda.
Aproveitamos a oportunidade para agradecer os quase 276 mil alunos que, desde a primeira prova em agosto, participaram desta Viagem do Conhecimento. Queremos também enviar um agradecimento especial aos educadores das 4.823 escolas de todo o Brasil que se inscreveram e participaram voluntariamente do concurso.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

A dança dos Signos e Noturno


clique na imagem para ampliar


Duas indicações que são as mais preciosas deste ano. São duas peças da Oficina dos Menestréis do Grupo do Oswaldo Montenegro. A dança dos Signos e Noturno.

40 ANOS DA AÇÃO DA CAPTURA DO EMBAIXADOR AMERICANO

3 de outubro de 2009, das 14h às 17h30
Memorial da Resistência de São Paulo – Largo General Osório, 66 – Luz

EXIBIÇÃO DO FILME “HERCULES 56” E DEBATE
Uma das ações mais espetaculares da guerrilha urbana brasileira, que lutou contra a
ditadura militar após o golpe de 1964, foi a captura do embaixador americano
Charles Elbrick e sua libertação em troca da leitura em cadeia de rádio e TV
nacional de um manifesto denunciando o regime de violência existente e a libertação
de 15 presos políticos.
Esse episódio que causou na época comoção mundial foi objeto de muitas
discussões entre os grupos da resistência brasileira e foi tema de vários livros, filmes
e artigos, uma vez conquistada a redemocratização.
O filme que melhor retrata essa audaciosa ação revolucionária, exibido em circuito
comercial, tem o título “Hercules 56” (tipo e número do avião que transportou os
militantes liberados dos cárceres). Realizado pelo cineasta Silvio Da Rin, coloca
numa mesa redonda vários personagens que realizaram aquela ação e discute
abertamente sobre a sua validade.
Para debater sobre esse filme, o Núcleo de Preservação da Memória Política do
Fórum Permanente de Ex-Presos e Perseguidos Políticos de São Paulo e o
Memorial da Resistência de São Paulo convidam para a exibição do filme e um
debate com Manoel Cyrillo de Oliveira Netto, um dos guerrilheiros que participaram
da ação que desafiou a ditadura militar.
Programa:
14h – 14h15: Apresentação/Coordenação:
Katia Felipini – Memorial da Resistência de São Paulo
Ivan Seixas – Jornalista, ex-preso político – Diretor do Núcleo de Preservação da Memória Política
e do Fórum de Ex-Presos e Perseguidos Políticos de São Paulo
14h15 –15:45: Exibição do Filme
16:00 –17:00: Debate com Manoel Cyrillo de Oliveira Netto
17:00 –17:30: visita ao Memorial da Resistência de São Paulo
O Sábado Resistente é promovido pelo Núcleo de Preservação da Memória Política do Fórum dos
Ex-Presos e Perseguidos Políticos de São Paulo e pelo Memorial da Resistência de São Paulo. É o
espaço de discussão entre companheiros combatentes de ontem e de hoje, pesquisadores,
estudantes e interessados para o debate sobre temas ligados às lutas contra a repressão, em
especial à resistência ao regime militar, implantado com o golpe de Estado de 1964. Nossa
preocupação é estimular a discussão e o aprofundamento dos conceitos de Liberdade, Igualdade e Democracia, fundamentais ao Ser Humano em busca de sua libertação.