quinta-feira, 23 de julho de 2009

Dica de Livro: Flor do Deserto



Recebi um email maravilhoso da minha amiga Magda que após ler este livro decidiu fazer algo em pró da mudança no mundo em que vivemos. Esse livro mexeu em cheio com o seu brio de ser humano: o que podemos fazer para mudar esse mundo cão em que vivemos?
O livro é um emocionante relato de Waris Dirie, modelo de projeção internacional e atualmente embaixadora especial da ONU na luta pela erradicação da mutilação genital feminina. Nascida numa família nômade no deserto da Somália, foi mutilada como muitas outras de sua tribo. Fugindo de um casamento não-desejado, atravessa a pé o deserto africano até chegar à capital, Mogadíscio, e daí para Londres. De empregada doméstica ao mundo das passarelas, a trajetória de Waris poderia ser a mesma de tantas outras modelos, não fosse a causa que passou a representar.
Editora: Hedra
Autor: WARIS DIRIE & CATHLEEN MILLER
Este é o email que a Magda escreveu (Obrigada por compartilhar comigo esse momento)
Amigos, parentes, colegas, conhecidos e queridos em geral...
gostaria de passar adiante algo que tomei consciência neste final de semana. Peço que se esforcem para ler até o final, senão terá sido em vão esse e-mail. Acabei de ler o livro "Flor do Deserto" que conta a história da Waris Dirie, uma ex modelo que nasceu na Somália e, como a maioria das mulheres de lá, teve sua vagina mutilada na infância. Ela fugiu na adolescência e hoje faz campanha pela erradicação dessa prática.
Bom, muitos de vocês já devem ter ouvido falar dela... mas talvez não conheçam a história a fundo. Eu tinha ouvido falar mas achava que fosse algo restrito a algumas tribos e não tinha noção de quão absurdo é o processo. Simplesmente, a sangue frio, sem condições de higiene e anestesia, pegam um obejeto cortante qualquer (lâminas velhas, pedaço de vidro) e cortam a vagina da garota (geralmente entre 5 e 10 anos de idade). Tiram o clítoris, os pequenos lábios e parte dos grandes lábios. Ou seja, "decepam" a vagina da menina. Em seguida, fazem furos (com espinhos ou o que tiverem de perfurante à mão) e costuram a vagina. Deixam um buraco do tamanho de um palito para que a urina e o resíduo menstrual possam, literalmente, pingar.A recuperação, obviamente, é tão brutal quanto a "operação" em si. Amarram as pernas da garota e a deixam se recuperar naturalmente. Afinal, em países como Somália e Etiópia onde se toma água à cada dois dias, remédios são um luxo que a maioria morre sem saber que existe.É claro que muitas dessas garotas morrem com gangrena, infecções e hemorragias. As que sobrevivem sofrem sérias conseqüências. Suas cólicas menstruais são mais fortes, muitas desenvolvem tumores porque o resíduo menstrual acaba se acumulando dentro delas e isso, sem falar que nunca sentirão prazeres sexuais.
Não se sabe bem a origem desse costume, mas sabe-se que muitos acreditam que somente assim manterão a castidade de suas filhas e a fidelidade de suas esposas. Como as mães passam por isso e os pais foram educados assim, acabam passando adiante a prática em suas filhas. Segundo a ONU, cerca de 2 milhões de meninas por ano passam por isso.
Quando elas se casam, o marido arrebenta a vagina da coitada no ato sexual ou, para facilitar, abre com uma faca. Depois que elas tem um filho, são costuradas novamente para que o marido possa receber sua mulher "fechadinha" de novo. E elas nem imaginam que isso não ocorre com o resto das mulheres no mundo. Para elas é normal. E, as que não são mutiladas, são consideradas sujas pelos outros homens e sem valor.
Como mulher, e ser humano, fiquei tocada ao ler isso. Ganhei o livro na sexta à noite de uma amiga e sábado à noite já havia terminado. Sei que existem muitas injustiças no mundo e tudo o mais. Mas, muitas delas estão enraizadas em problemas muuuito mais complexos. Não há o que eu possa fazer, por exemplo, para acabar com a fome. Não tenho como mudar o sistema.Porém, há algo que eu e todos vocês podemos fazer para ajudar com esse problema da mutilação feminina.
Em muitos países essa prática foi praticamente extinta com a atitude mais óbvia de todas: consicentização. Com o apoio do governo e Ongs, educaram e conscientizaram as pessoas do porque não se fazer isso e que não há valor cultural no mundo que justifique isso.
No final do livro há uma mensagem pedindo ao leitor que envie uma carta para os governos dos principais países onde esta prática ocorre. Já colocaram a carta em inglês e deram os endereços dos governos. Então, além de recomendar o livro a vocês, gostaria de pedir que imprimissem a carta que estou enviando anexada a este e-mail e enviassem para os endereços que colocarei logo mais abaixo.O que eles mais esperam do ocidente é que façamos pressão para que os governos deles promovam e mantenham campanhas educativas para acabar com a mutilação feminina. Pois, por incrível que pareça, ao invés de diminuir, a quantidade de garotas mutiladas tem aumentado. Pois os africanos que migram para a Europa e América, levam essa prática com eles. Chegam a juntar dinheiro em comunidades de imigrantes para pagar as passagens das "ciganas" que fazem o procedimento.
Engraçado que na sexta, quando ia ao encontro dessa amiga que me presenteou com o livro, vi dois garotinhos no metrô pedindo esmola. Os dois estavam até que bem vestidos. Eram dois irmãos aparentemente, um de uns 4 anos e o outro de uns 6 ou 7. O menorzinho andava choramingando e o mais velho tinha um olhar muito triste que não saiu da minha cabeça o fds inteiro. Então o mais velho parou do lado do mais novo e botou a mão no ombro dele e ele "quero ir pra casa". Aí o mais velho pegou na mão do mais novo, disse alguma coisa e desceram... Me cortou o coração, mas eu pensei "Meu Deus! O que eu poderia fazer por eles? Dar r$1,00? Levar pra minha casa? É tão complexo...." Aí li o livro e vi que pelo menos essa atrocidade, a da mutilação, era passível de erradicação apenas com a colaboração de cada um. Não precisa dar dinheiro, mudar sistemas políticos nem sair de casa sem ser para ir ao correio.
Espero que vocês possam enviar as cartas e também passar a mensagem adiante! Acredito que, assim como "de zoeira" um por um votou no Clodovil e no Enéias e eles foram eleitos, um por um pode mandar uma carta e fazer a diferença.
Seguem os endereços baixo e a carta anexada com a mensagem. Se souberem de mais endereços para enviar, fiquem a vontade!
Beijos e obrigada!
Etiópia
His Excellency, Prime Minister
Office of the Prime Minister
PO Box 1031 Addis Abeba Etiópia

Egito
His Excellency,President of the Arab Republic of Egypt
Abedine Palace, Cairo Egypt
Sudão
His Excellency,President of the Arab Republic of SudanPeople's Palace
PO Box 281 Khantorum Sudan
Quênia
President Of KenyaHarambee House Harambee Avenue
PO Box 30510
Nairobi Kenya
Somália
His Excellency, the Prime Minister
Office of the Prime Minister The Presidency
Mogadishu Somalia
Para enviar a carta ela deve estar em inglês, para quem tem dificuldades segue o modelo:

Dear Sir,
I am writing you about a serious violation of human rights and physical integrity, that of female circumcision, an act which consists of the forced mutilation of the female genitals. In addition to the searing pain of mutilation and desfigurement, women who have undergone mutilation carry within them various other physical and psychological health problems.
I therefore ask for your cooperation in the eradication of female genital mutilation. I hope your government will collaborate to this end through political and education efforts. I know we can count on you to meet your obligations on basic questions of human well being.
Sincerely,

2 comentários:

  1. Olá,

    Estou procurando o livro da Waris Dirie (Flor do Deserto) para uma prima que mora na Georgia (USA)e que so le em portugues.
    O livro está fora de catalogo, não encontro em sebos e agora estou apelando para pessoas que o cita em seus blogs.

    Me cede o seu exemplar.
    Me vende, aluga, troca ... o que voce achar mais justo.

    Vou aos EUA no dia 18 de agosto e gostaria de fazer esta surpresa para ela.

    Afinal primas são sempre expeciais, mesmos quando já passamos dos 40 e já estamos esperando os netinhos....

    Na super esperança de tocar seu coração, uma abraço.

    André Pego
    31 9362 3480
    mendespego@gmail.com
    andre.pego@fiat.com.br

    ResponderExcluir
  2. o meu livro eu dei para uma amiga qque queria muito o livro. Vc já tentou os ebooks?

    ResponderExcluir

Não será permitido comentários ofensivos.